Mirassol: nova vítima do Verdão em ascensão?

Embora ainda sem Diego Souza e Lenny, o Palmeiras joga hoje às 20h30 na Arena Barueri como franco favorito, contra o modesto time do Mirassol. Com duas derrotas e uma vitória no currículo (quatro gols a favor, seis contra), e amargando uma preocupante (para eles, é óbvio) décima sexta posição na tabela, a equipe do interior paulista irá a campo com a evidente intenção de tentar arrancar um empate.

Por sua vez, os comandados de Vanderlei Luxemburgo, ostentando duas vitórias e um empate, com quatro gols a favor e apenas um contra, tentarão não só consolidar o segundo posto no campeonato, como também se mostrarem aptos a assumir a ponta, atualmente nas mãos da Ponte Preta.

A partida contra o Marília nos deixou dois problemas básicos como herança. Um, a perda de Deyvid Saconi por alguns meses, devido a séria lesão após choque com um atleta do time da bolacha. A outra, a contusão no rosto de Valdívia, vítima da imprudência/violência do zagueiro adversário. Felizmente, não houve danos neurológicos ou coisas assustadoras do gênero, mas o Mago não está cem por cento garantido para a partida de hoje, algo que só será definido após testes no vestiário.

Se ele não puder ir a campo, o mais provável é que Makelele, até por falta de outras opções, seja seu substituto. A escalação: Diego Cavalieri, Elder Granja, Gustavo, Dininho e Leandro; Pierre Seleção, Martinez, Valdívia (Makelele) e Willian; Luiz Henrique e Alex Mineiro. A arbitragem fica por conta de Antonio Rogério Batista do Prado, cuja missão tem de ser coibir a violência que tem imperado contra nosso Alviverde Imponente.

E total repúdio ao patético Marco Aurélio Cunha, dirigente da equipe do Jardim Leonor, que disse a seguinte frase absurda: “Valdívia, não seja chatinho, quando mais você chora, mas dá vontade de bater”. Saiu hoje no Painel F.C. da Falha de S.Paulo. Nota zero, seo Cunha!