Meio-campo trava e Verdão empata contra o Guará

Cleiton Xavier tem sido uma espécie de termômetro do Palmeiras em 2009. Quando joga bem, é vitória na certa. Quando joga mal, a coisa se complica. E essa máxima se manteve na noite de hoje, em Guaratinguetá, quando ficamos apenas no empate contra o time da casa, que vinha de quatro derrotas consecutivas, no campeonato. Se as ausências de Willians e principalmente de Keirrison pesaram, ironicamente o meio-campo titular é que deixou muito a desejar, hoje, criando praticamente nada e mostrando desacertos na marcação. 

Por sua vez, a defesa bateu cabeça várias vezes, diante de um ataque que a rigor tinha apenas um jogador mais talentoso, o centroavante Wellington Amorim. As poucas chances de gol de lado a lado não foram contundentes, em partida fraquíssima em termos técnicos. O Guaratinguetá abriu o placar aos 41 minutos em jogada de Nenê, que cruzou para a área. Bruno saiu mal, Maurício Ramos também vacilou e Wellington Amorim pôs a bola para o fundo das nossas redes quase sem querer. Insatisfeito com o desempenho do time, Luxemburgo voltou para o tempo final com Marquinhos e Daniel nos lugares dos discretos Sandro Silva e Lenny. 

Nem tinha dado para ver se daria certo, quando Ortigoza, um dos melhores do Verdão (ao lado de Pablo Armero) foi segurado na área. Pênalti, que Diego Souza, aos 10 minutos, cobrou forte no meio do gol e converteu. Daí para frente, Wellington Amorim perdeu boas oportunidades aos 19 e 25. Wendel, que vinha mal, mas que salvou um gol feito do adversário, saiu para dar lugar a Evandro, que fez o de sempre. 

No fim das contas, o empate acabou ficando de bom tamanho, e a sina de perder pontos para times treinados por um dos piores técnicos da história do Palmeiras, o glorioso Márcio Araújo, se manteve firme e forte.