Marcos, um palmeirense

marcos.jpgMorram de inveja, torcedores adversários, porque, procurando em seus elencos, não acharão um jogador tão preocupado e comprometido com seu clube como o goleiro Marcos do Palmeiras! Em tempos de “profissionalismo” dos jogadores de futebol, sempre à procura da camisa que lhes pague mais, São Marcos parece ser uma figura saída dos contos infantis, onde os finais são sempre felizes, pois o amor sempre vence tudo e todos. O caso de amor entre Palmeiras e Marcos transcende a tudo, de uma maneira mágica e linda.

Os são-paulinos dirão: “mas nós temos Rogério Ceni, sempre comprometido com o clube”! Sim, concordo, mas o bom goleiro são-paulino não apenas ama o clube, pois disso não se duvida, mas também tem uma gana de bater recordes pessoais, colocando isso acima até dos interesses de seu clube, porque todos sabem que ele joga até de perna quebrada para não dar chance a outros goleiros, esquecendo de dar oportunidade a quem estiver melhor condicionado. O que não ocorre com Marcos, que coloca o Palmeiras acima de qualquer vaidade pessoal, como demonstra sua atitude de pedir para ser sacado do time, pelo fato de o reserva Diego se encontrar em melhores condições físicas e psicológicas do que ele, um pentacampeão do mundo e um dos jogadores mais amados pela torcida verde em todos os tempos.

Em outra ocasião, quando podia ter ido para o Arsenal, jogar o tão badalado campeonato inglês, preferiu ficar no clube e enfrentar a série B e os pastos de Garanhus e outros. E tantas outras demonstrações de amor pelo Palmeiras. Obrigado Marcos, por você ser o palmeirense que é e nos encher de orgulho, numa época tão difícil e dominada por pessoas que não amam o nosso amado Palestra, interessadas apenas em disputas políticas. E para encerrar, quando Milton Neves disse ao vivo para Marcos, que ele não foi para o Corinthians porque ele “dedou” o negócio, Marcos simplesmente respondeu: ”Não fui para o Corinthians porque sou palmeirense, Milton!” Sem mais palavras…..