Marcos, Oberdan: bustos são realmente necessários?

treino16maio1

Não sigo uma religião, embora tenha muita fé em Deus. Dessa forma, sinto-me à vontade para adotar/admirar ditames de todas elas, quando concordo com os mesmos. Um, dos evangélicos, refere-se a “não cultuar imagens”. Ou seja, vai contra o de outras crenças, que se valem das imagens de santos, Jesus Cristo etc como objeto de culto. Isso me veio à mente quando o tema “busto para Marcos, Oberdan Catani, Evair etc” começou a se tornar recorrente aqui em Mondo Palmeiras. E tenho uma opinião polêmica. Sou contra esse tipo de homenagem. E explico o porque.

     O ser humano freqüentemente precisa de provas concretas do seu amor a algo/alguém. Não basta o carinho, a atenção, o respeito. Dê apenas isso para namorada, esposa, pai, mãe, filhos ou seja lá quem for, nessas datas comemorativas que o comércio aguarda tão avidamente……. Prepare-se para grandes represálias. Isso, mesmo sabendo que esses presentes acabam sendo esquecidos, meses ou até dias depois de recebidos.

     O busto para um ex-atleta que brilhou em nossas hostes funciona mais ou menos da mesma forma. Será que resolve? Ou irá se tornar, com o devido perdão da brincadeira sem graça, mais um local para que os pombos possam fazer suas necessidades? Ou pior, para serem roubadas, como ocorre com diversas estátuas mundo afora?

     Muito mais importante do que esses marcos concretos (feitos de concreto, pedra, argila etc) é a constante lembrança, respeito e veneração a esses ídolos eternos. Para mim, são muito mais expressivas homenagens como a atual exposição feita no Palestra Itália em homenagem ao nosso ex-atleta Julinho Botelho.

    Nelas, podem ser expostas, de forma mais abrangente e detalhada, as razões pelas quais aquele craque merece ser eternamente idolatrado por nossa gente. Almoços, jantares e festas promovidos em nome desses luminares da bola são outras atividades também muito mais efetivas, assim como vídeos, revistas e livros registrando suas façanhas.

     Melhor ainda: venerar sempre a memória dos nossos craques que já se foram, e cultuar com o devido respeito os que permanecem entre nós. E podem ter certeza: os tais “bustos” para os craques do nosso passado já existem, e estão firmes e fortes, dentro dos corações de todos nós, palmeirenses do Brasil e do mundo!