Marcos e Ortigoza garantem empate para o Verdão

Que ninguém interprete a manchete acima como prova de que o nosso Alviverde Imponente teria conseguido um empate na bacia das almas. Mas não dá para negar que o pênalti defendido por Marcos no início do segundo tempo, e o gol feito por Ortigoza, no final do primeiro, foram os lances capitais para o resultado da partida.

Sem jogar uma partida maravilhosa, o Verdão certamente merecia até ter saído com a vitória de Belo Horizonte, pois criou mais chances do que o Atlético Mineiro. Mas o time da casa deu sorte. Logo aos cinco minutos da etapa inicial, quando o jogo ainda se desenhava e o Palmeiras aparentava mais consistência de jogo, Marcão errou uma rebatida no meio, a bola sobrou nos pés de Eder Luiz, que arriscou um chute de longe. A bola foi no canto de Marcos, que se considerou culpado do gol atleticano, embora tal culpa seja discutível.

A partir daí, o time treinado por Celso Roth tentou garantir o resultado com uma mistura de aplicação tática e uma falta atrás da outra. Mas aos 35 minutos Diego Souza fez bela jogada pelo setor esquerdo do nosso ataque e cruzou com perfeição para Ortigoza, que cabeceou com segurança. Empate no Mineirão. No começo da etapa final, um pênalti inexistente deu a chance de o Atlético voltar a ficar à frente no marcador.

Mas o jovem Renan Oliveira esqueceu que quem estava à sua frente era um goleiro pentacampeão do mundo, quis dar uma paradinha, chutou até com força, mas Marcos voou e foi buscar. A partir daí, o moral do onze atleticano caiu, e o Verdão, mesmo desfalcado de Pablo Armero, Edmílson e Obina, criou algumas boas chances de gol, sendo a melhor de todas em contraataque rápido, no qual Ortigoza cruzou e Cleiton Xavier conseguiu chutar para fora, cara a cara com o goleiro adversário.

Aos 44 minutos, Diego Souza chutou forte e a bola passou perto. Foi o último lance de uma partida na qual o empate nos manteve firmes na liderança do campeonato.

********

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras.