Marcão comemora marca histórica com vitória no ABC

Marcos completava 350 partidas pelo Palmeiras contra o São Caetano, mas a marca histórica não o pouparia de trabalhar. Aos cinco minutos iniciais, em boa defesa, evitou que o meia Canindé abrisse o placar em cobrança de falta. Pouco depois, sob forte chuva, alertava seguidamente a zaga para a facilidade com que o ataque adversário invadia a área. Aos 36, o árbitro Cleber Wellington Abade resolveu interromper o jogo, tamanha era a falta de visão. E só no reinício, onze minutos mais tarde, o ídolo alviverde conseguiria comemorar, com o gol de Alemão. O atacante, depois de uma confusão na área após cobrança de falta, chutou de bico no canto de Luiz. Um a zero Verdão.

A festa da torcida palmeirista no Anacleto Campanella duraria exatos seis minutos. Da entrada da área, em nova cobrança de falta, Canindé acertaria o ângulo de Marcos, desta vez, sem chance de defesa para o goleiro. A data especial, no entanto, daria à arquibancada e traria ao campo a reação necessária. Com o fim da chuva, a superioridade técnica do Palmeiras prevaleceu na segunda etapa. Valdívia, aos seis, obrigaria Luiz a espalmar um chute que tinha endereço certo. Dez minutos depois, o chileno em bela jogada pela esquerda, foi até a linha de fundo e cruzou para trás. Willian, de primeira, aproveitou para definir, contabilizando seu terceiro gol no Paulistão 2007.

Em dia de Marcos, o Verdão pôde contar com o Camisa 1 para segurar a vantagem. Com segurança, logo após espalmar uma cobrança de falta batida por Paulo Sérgio, o goleiro saiu numa dividida com Marabá. O lance, semelhante ao que causou a séria contusão sofrida pelo goleiro em 2006 contra o rival de Parque São Jorge, coroou a justa e digna homenagem ao santo. A vitória por 2×1 significa mais do que o palmeirense pode ter percebido hoje. Com o mesmo número de pontos na tabela, vamos ao Morumbi, no próximo domingo, para definir o futuro do Palmeiras no Paulistão. Que venha o freguês!