“Largol” funciona e Verdão empata jogo quase perdido

Em recente entrevista, Vanderlei Luxemburgo atribuiu a um hipotético “largol” uma vitória do Verdão. Pois hoje o mesmo ingrediente se mostrou decisivo para conseguirmos reverter um resultado negativo que parecia definitivo. Aos 31 minutos do segundo tempo, o Palmeiras mostrava-se irremediavelmente derrotado pelo arquiinimigo São Paulo, por dois a zero. Aos 33, a partida estava empatada. Se não pode ser considerado um resultado dos melhores por ter sido obtido em casa, ganha sabor de vitória pelas circunstâncias em que foi obtida, em um clássico de grande rivalidade.

Após muito mistério por parte do nosso “treineiro”, entramos em campo com Maurício no lugar de Martinez, que não conseguiu se recuperar a tempo, e Leo Lima no de Pierre. Péssima escolha. Logo aos quatro minutos, o ex-jogador de Vasco e Santos cometeu pênalti infantil em Jean, que Rogério Ceni converteu aos seis minutos. Um a zero.

Para piorar, antes de o jogo recomeçar, Borges e Diego Souza foram expulsos pelo confuso Sálvio Spinola Fagundes Filho. O cenário ficou perfeito para os comandados de Muricy Ramalho, que passaram a jogar no contra-ataque. Aos 10 minutos, entra Evandro no lugar de Maurício. Criamos diversas chances de gol, com Alex Mineiro, Kleber e Roque Júnior. Aos 36 minutos, Alex Mineiro cabeceia, a bola bate um pouco para trás da linha de gol, mas não entra inteira, para desespero da torcida que canta e vibra. Aos 45 minutos, Leo Lima erra em saída de bola, a jogada cai nos pés de Dagoberto, que não desperdiça, ampliando a vantagem tricolor.

Na etapa final, Luxa acorda e volta com Pierre no lugar de Leo Lima, o que deu ao Verdão maior poder de marcação. Aos 8, queima seu último cartucho, com Denílson na vaga de Sandro Silva. Um minuto depois, Elder Granja perde gol feito.

O domínio territorial alviverde era total, mas não se refletia em chances de gol. Aos 31 minutos, Kleber chutou para boa defesa de Rogério. Poucos segundos depois, Denílson fez grande jogada pela direita e cruzou com precisão, para o Gladiador mandar para o fundo das redes. 

A torcida ainda estava comemorando quando Leandro cobrou falta, a bola desviou em Dagoberto e enganou o goleiro adversário, aos 33 minutos. Empate relâmpago, quando até mesmo o mais otimista dos torcedores imaginava a vaca atolada no brejo.

Até o final, tivemos Hernanes perdendo gol feito e Roque Júnior tomando o segundo amarelo e sendo expulso. Um clássico que pode ter mandando alguns cardíacos conversar com o Fiori Gigliotti, no céu.