Jailson garante Palmeiras na final do Paulistão


Um sofrimento, mas com final feliz. Dá para resumir dessa forma a classificação do Palmeiras para a final do Paulistão 2018, cujo primeira partida será realizada no próximo sábado (31) contra São Paulo ou Corinthians. Após perder por 2 a 1 no tempo regulamentar, o Verdão venceu o Santos nos pênaltis por 5 a 3, com Jailson defendendo uma cobrança. Ufa!

No começo da partida, ao contrário do que poderia se esperar, foi o Palmeiras quem veio para cima do seu adversário, mesmo tendo a vantagem no duelo. Preparado para aproveitar contra-ataques, o Santos chegou com perigo aos 4 minutos, mas Arthur Gomes chutou para fora, em chute cruzado. Aos 10 minutos, Keno, em noite inspirada, fez boa jogada e chutou para fora.

Aí, aos 12 minutos, o Santos abriu o placar, com Eduardo Sasha marcando de cabeça após cruzamento oriundo do setor esquerdo da defesa alviverde. Sem se abalar, a equipe alviverde empatou aos 16 minutos, em lance que se originou de cobrança de lateral. A zaga rebateu e Bruno Henrique acertou um belo chute.

Sem se contentar com o empate, o Verdão continuou mandando no jogo. Aos 20 minutos, Luca Lima bateu falta e a bola foi para fora. Aos 21 minutos, Thiago Martins cabeceou para fora, após cobrança de escanteio. Aos 27 e 34 minutos, Felipe Melo arriscou chutes de meia distância e quase marcou, enquanto Willian cabeceou para fora em bom cruzamento pelo lado direito do ataque verde.

Aí, aos 38 minutos, uma falha bizarra do sistema defensivo do Palmeiras deu a Rodrygo a chance de marcar o segundo tento santista, e ele não a desperdiçou. Um horror. A pressão alviverde continuou, com Bruno Henrique exigindo boa defesa de Vanderlei em cobrança de falta aos 42 minutos. Antônio Carlos ainda aos 42 minutos, Victor Luis aos 45 (cobrando falta) e Antônio Carlos aos 47 minutos quase empataram, mas ficou no quase.

O Palmeiras voltou muito mal para o segundo tempo, e não conseguiu chutar uma única bola no gol durante os 47 minutos disputados. Por sua vez, o Santos se manteve fechadinho na defesa, esperando por um contra-ataque que definisse a sua classificação, o que também não ocorreu. Tivemos muitas faltas, jogo truncado e nervosismo de parte a parte.

Na hora dos pênaltis, valeu a calma de Jailson, que pegou a cobrança do jovem Diogo Victor. Dudu, Tchê Tchê, Victor Luis, Moisés e Guerra, nessa ordem, marcaram para o Palmeiras, enquanto Gabriel, Jean Motta e Arthur fizeram para o Santos. No sufoco, do jeito que deu, mas estamos na final. No momento, é tudo o que importa para o torcedor alviverde. E que venha a final!

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson8,0– Não teve culpa nos gols que sofreu e defendeu o penal que nos garantiu na final.

Tchê Tchê6,0– Não foi brilhante, mas lutou muito e converteu um dos pênaltis.

Antônio Carlos5,0– Muito abaixo de sua boa média, com direito a erros de passe terríveis.

Thiago Martins5,5– Pouca coisa melhor do que o seu colega de zaga, embora também tenha vacilado bastante.

Victor Luis6,0– Muita garra durante todo o jogo, embora tenha ido mal na jogada que originou o primeiro gol santista. Mas também mostrou segurança na hora de bater o seu pênalti.

Felipe Melo5,0– Errou muitos passes, mostrou-se nervoso e falhou bastante.

Bruno Henrique6,0– Fez um golaço e um ótimo primeiro tempo, mas caiu bastante na segunda etapa, quando saiu, aos 30 minutos substituído por Moisés-5,0, que pouco fez, mas ao menos cobrou com maestria o seu pênalti.

Lucas Lima3,5-Totalmente apagado. Saiu aos 19 minutos do segundo tempo substituído por Guerra-5,0, que também não foi bem, mas converteu o pênalti que nos classificou para a final do campeonato.

Dudu5,5– Esforçou-se muito, não dá para negar, mas jogou muito abaixo do que sabe.

Keno7,0– O melhor do time, especialmente no primeiro tempo, quando infernizou a zaga santista;

Willian4,5– Dedicado como sempre, mas muito aquém do que sabe jogar. Saiu aos 24 minutos do segundo tempo, dando sua vaga para Deyverson-3,0, que conseguiu ir ainda pior do que seu antecessor.