Inofensivo, Palmeiras perde clássico

Basicamente, dois lances definiram o clássico entre Palmeiras e Corinthians, jogado na tarde deste domingo (31) no Pacaembu e que infelizmente encerrou uma invencibilidade de três anos do Verdão contra o seu maior rival.

Após falta do sempre estabanado Pablo Armero, Tcheco cobrou na área e acho o quase anão Jorge Henrique livre. Este não vacilou e, de cabeça, com Edinho e Marcos apenas observando, abriu o marcador aos seis minutos de jogo.

Nem dois minutinhos haviam se passado, e Roberto Carlos foi justamente expulso, após carrinho violento e de força desnecessária em João Arthur. O fato acabou decidindo de vez o clássico.

Tal como na partida do meio da semana, contra o Monte Azul, a equipe alviverde se mostrou completamente incompetente no sentido de aproveitar a vantagem numérica em campo. O tão criticado Diego Souza fez muita, mas muita falta, mesmo.

Até o final da etapa inicial, o jogo foi sempre a mesma coisa: o time de Muricy Ramalho tocando a bola e não sabendo o que fazer com a mesma, e o de Mano Menezes se defendendo e esperando a oportunidade de sair em contraataque e definir de vez o jogo.

Afora chutes de longe de Cleiton Xavier e Pierre, o mais próximo que o Palmeiras ficou de empatar foi aos 28 minutos, quando Edinho recebeu livre na grande área e, como zagueiro e volante que é, recuou pateticamente a bola para Felipe.

Muricy tentou mudar as coisas ainda na primeira etapa, fazendo duas alterações: entraram Daniel e Wendel, saíram Gualberto e Armero. Não adiantou nada, como seria de se esperar.

No segundo tempo, o jogo voltou com o mesmo desenho tático, com o Palmeiras um pouco mais efetivo. Foram criadas pelo menos três boas chances, mas as finalizações foram todas em cima de Felipe, que só se esforçou de fato em boa cobrança de falta de Cleiton Xavier, aos 3 minutos, que ele teve de se virar para evitar o gol palmeirense.

Aos 28 minutos, William entra no lugar de João Arthur, e só foi notado em campo aos 31, quando perdeu gol feito, e quase no finalzinho, quando fez falta besta no ataque. O sobrecarregado Cleiton Xavier foi reclamar e, aos 42 minutos, levou o vermelho.

Após a negociação circense envolvendo Deyvid Sacconi que o tirou do clássico e a inoperância da diretoria alviverde em trazer reforços para que Muricy Ramalho possa ter opções e trabalhar com um mínimo de condições, até o mais otimista dos palmeirenses começa a desconfiar de que 2010 será mais um ano jogado na lata de lixo da história.

Tomara que tal expectativa pessimista possa se reverter, nos próximos meses. Tomara…

uol_logoClique aqui para ouvir a Rádio Mondo Palmeiras – Edição 164.