Incoerência do Mundo da Bola (Parte 2)


 É meus amigos, meu primeiro texto sobre a saga Incoerências do Mundo da Bola fez um bom sucesso e dando continuidade, vou usar o texto anterior, pois nesse texto é igual aquele garotinho na escola, ele tem um nome, mas vai ter um apelido e no caso aqui o apelido dele é: Mudou… Zero!

      Mas porque esse apelido? Obviamente é só pegar o texto anterior e você já tem a idéia, o que virou “Modinha” um campeonato muda o nome, altera alguma coisa em seu formato, pronto, zeram todos os títulos, o que ficou para traz apenas serve para o museu da equipe, e as gerações vão passando e com isso ídolos do passado acabam caindo no esquecimento, afinal, não ganharam nada, não é?

      Posso aqui citar, vários exemplos, como o Robertão e a Taça Brasil do texto anterior, essa copa Sul Americana, que nada mais é que copa Mercosul, os Mundiais de Clubes, a FIFA teve a cara de pau de zerar todos anteriores a 2000 e considerar mundial um certo torneio que foi edição única e critérios duvidosos para seleção das equipes participantes (de quem será que eu estou falando?).

     Enquanto isso, na Europa olhamos equipes que já acumulam mais de 50 canecos nacionais, história preservada, ídolos lembrados pelos seus títulos, pois é da história que se eternizam os ídolos, Já no nosso Pais ? Quais são os nossos ídolos lembrados? Incoerências a parte não são os jogadores a partir da copa de 70? Ou estou enganado? 

      Agora pergunto: no ano de 2000, o Campeonato Brasileiro teve seu nome alterado para Copa João Havelange, onde seu formato também foi alterado, pois os times das três divisões do futebol nacional disputaram o caneco daquele ano (116 clubes disputando) e não zerou por quê? E no ano seguinte voltou o formato “normal” e não zerou porque de novo? Porque o Vasco foi campeão em 2000 e até então o Flamengo era considerado o maior campeão Brasileiro ?

      É meus amigos, a incoerência do mundo da bola está ai, agora é a sua vez, opine que na semana que vem eu volto denovo.