Gols no primeiro tempo e São Marcos no segundo

Que futebol tem dois tempos, todos sabem. Mas ontem, essa divisão se tornou extremamente bem delineada no que sobrou do gramado do Maracanã. A etapa inicial teve um Palmeira insinuante, segurando o Flamengo com uma marcação implacável e desafiando os cariocas com contra-ataques rápidos e bem articulados.

Dois a zero foi pouco. No entanto, o time treinado pelo folclórico Cuca Faixa equilibrou as ações, soube se aproveitar do visível cansaço da equipe alviverde, fez um gol de pênalti e por pouco não empatou a partida. Nesse momento, São Marcos voltou a celebrar a sua sucessão de milagres, garantindo os três pontos para o Verdão, que, dependendo dos resultados de Vitória e Atlético Mineiro em suas partidas de hoje, pode acabar a rodada na vice-liderança do Brasileirão.

O time treinado interinamente até sabe Deus quando por Jorginho Sobracelha teve um desempenho compacto, com ótima marcação no meio campo a cargo de Pierre e Edmílson (que em alguns momentos se alternava como terceiro zagueiro) e com ajuda até mesmo de Deyvid Sacconi (marcar nunca foi o seu forte), defesa segura e contragolpes bem articulados, que Diego Souza e Ortigoza protagonizavam com agilidade. Aos 25 minutos, o primeiro fruto desse bom desempenho: Ortigoza disputa com o zagueiro rubronegro e a bola sobra para Diego Souza, que domina com categoria e chuta forte, sem defesa para Bruno. Até o final, várias outras chances de gol foram criadas pelo Verdão, com o Flamengo tentando de forma tímida e não sabendo se valer da maior posse de bola.

Aos 44 minutos, belíssima triangulação iniciada por Pierre e prosseguida por Cleiton Xavier foi concluída com maestria por Ortigoza. Na etapa final, porém, o Flamengo voltou melhor, e a marcação da equipe paulistana afrouxou. Por sua vez, a maior parte dos nossos atletas mostravam visível cansaço. Jorginho, p or sua vez, não foi feliz nas alterações que fez, com Sandro Silva e principalmente Fabinho Capixaba entrando muito mal.

Aos 27 minutos, Adriano, de pênalti, reduziu a nossa vantagem, e coube a Marcos garantir a vitória, com pelo menos duas defesas dificílimas. Ressalte-se a péssima atuação do confuso árbitro Leandro Vuaden, que economizou nos cartões, deixou passar em branco cotoveladas dos atletas rubro negros em Diego Souza e Deyvid Sacconi e não deu pelo menos um pênalti claro a nosso favor. Mas não conseguiu evitar mais uma vitória fora de casa do Palmeiras.

***********

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras.