Fernando Prass está fora do Vasco e pode jogar no Verdão

Se depender da rapidez e da eficiência dos atuais dirigentes que comandam a Sociedade Esportiva Palmeiras, não duvidem que possamos entrar em 2013 com apenas um reforço, o lateral-direito Ayrton. Jogador vinculado ao clube que volta de empréstimo não entra na conta, tipo o valoroso Wendel ou o raçudo Souza.

A lista dos nomes que estão sendo “descartados” (palavra que, pelo visto, voltou a ser usada com força total no Verdão) aumenta. Nem bem entrou em cena, Alex Silva (Flamengo) foi rejeitado em comunicado oficial feito por Frizzo e companhia bela, assim como Alemão (quem? do Guaratinguetá). E outro cara entra em cena.

Trata-se de Fernando Prass. O goleiro rescindiu seu contrato com o Vasco da Gama, clube que defendeu nos últimos quatro anos. O fim do vínculo entre ele e o clube carioca ocorreu oficialmente nesta segunda (10), quando sua liberação saiu no Boletim Informativo Diário da CBF. O contrato duraria até o fim de 2013, mas os constantes atrasos de salário teriam motivado o jogador a pedir as contas.

Setoristas do Palmeiras e do Vasco dizem que Prass estaria se acertando com o Palmeiras, mas que Coritiba e Grêmio também estariam atrás do guarda valas, como diriam os locutores de outrora. Mais uma novelinha marca barbante para acompanharmos nos próximos dias…

Pausa para uma piadinha das boas. Surgiram boatos de que o clube carioca chegou a sugerir uma troca, pau a pau, do goleiro por ninguém menos do que Hernán Barcos. Estou com o maxilar doendo de tanto rir.

Com 34 anos de idade e nascido em Porto Alegre, Fernando Prass já jogou no Grêmio, Vila Nova (GO), Coritiba, União de Leiria, de Portugal, e Vasco da Gama, sendo que seu título mais importante, a Copa do Brasil 2011, foi conquistado jogando por este último.

Se essa contratação por ventura se confirmar, será a prova de que a velha máxima de que goleiro o Palmeiras forma em casa será deixada de lado, ao menos por enquanto, deixando na berlinda Bruno, Raphael Alemão e cia bela. Desde os tempos do inesquecível Gato Fernandez, em 1994, o Palmeiras não contrata um goleiro.

Creio que todos aqui irão concordar que existem posições nas quais precisamos de forma muito mais urgente de reforços, mas como a lógica dessa nossa atual diretoria parece mesmo ser a do absurdo, como diria Lobão, já viram, tudo é possível. E haja Sonrisal para aguentar o Mercado da Bola 2013…