Enilton dá show e Verdão ganha no Rio

Botafogo lutou muito, mas Palmeiras mostra tranqüilidade e ganha de 3 a 1 em pleno Maracanã. É a segunda vitória fora de casa no Brasileirão.

Quando a fase de um time fica boa, milagres podem acontecer. Até há não muito tempo um dos jogadores mais vaiados pela torcida, o centroavante Enilton acabou sendo o jogador decisivo para que o Palmeiras conseguisse importantíssima vitória na tarde de hoje contra o Botafogo, no estádio do Maracanã (RJ), pelo placar de 3 a 1. Além de fazer dois gols, o avante protagonizou a jogada mais bonita da partida, na qual avançou pelo lado esquerdo do ataque do Verdão, venceu diversos jogadores do adversário e cruzou uma bola limpíssima para Paulo Baier, que não vacilou e mandou pro fundo das redes, aos 26 minutos do segundo tempo. Antes, ele mostrou competência e malandragem: no primeiro gol, aos 10 minutos do primeiro tempo, soube não ficar impedido e aproveitou passe açucarado de Juninho; no segundo, valeu-se de um empurrão ilícito (mas até sutil) que provocou um choque entre dois jogadores adversários, choque esse muito bem aproveitado por ele, que ainda escapou de um pênalti e mandou a bola para o fundo, aos 36 do primeiro tempo. Antes, aos 13, o Botafogo havia empatado a peleja, em contra-ataque bem aproveitado por Marcelinho.

A partida não primou por uma técnica apurada, com direito a muita marcação por parte das duas equipes e um desenvolvimento truncado, devido ao estilo do juiz mineiro Alicio Pena Júnior, daqueles que dá uma falta a cada dez segundos. Desesperado e com o técnico Cuca (que apareceu de novo visual, careca e de boné) em vias de perder o emprego, o time carioca tentou de tudo, mas a limitação de jogadores como Rui Cabeção e Clayton não ajudou muito.

No segundo tempo, o Fogão deu sufoco no Verdão durante os vinte primeiros minutos, com uma sucessão de escanteios e bolas na área, mas sem criar jogadas de real perigo. A partir do terceiro gol do Palmeiras, a partida ficou decidida, e só não tivemos um quarto gol por vacilos nas finalizações por parte de Rosenbrik, Valdívia (que jogou os últimos dez minutos, e até que bem), Marcinho e Paulo Baier. No geral, ótima vitória, e boa estréia do zagueiro Dininho, que não comprometeu.