Enfim o dia da redenção alviverde

Nada como um dia após o outro. Marco Aurélio Cunha citou essa frase quando sua equipe venceu a nossa no primeiro jogo das semifinais do Paulistão 2008. Ela define com perfeição o embate final entre os dois gigantes do futebol nacional. Desta vez, com a conotação que nos interessa.

Jogando com muita raça e determinação, o Palmeiras venceu de forma incontestável o São Paulo, com campo molhado e tudo, e espantou o adversário que estava entalado em sua garganta. Estava. Não está mais. Agora, dois jogos contra a Ponte Preta definem o campeão paulista de 2008.

O clima nas imediações do Palestra Itália estava tranqüilo, antes da partida. Nem a chuva, que insistiu em marcar presença durante o tempo todo, conseguiu tirar o ânimo do público. E o time treinado por Vanderlei Luxemburgo entrou em campo com o chamado “sangue nos olhos”.

Com uma garra impressionante, o Verdão lutou muito, além de tocar a bola com a habitual precisão. Enquanto isso, o São Paulo tentava se valer de suas limitadas armas, ou seja, bolas paradas a cargo de Jorge Wagner e as trombadas e bicudas de Adriano. Ironicamente, a primeira bola chutada pro gol entrou, em belo chute de Leo Lima que Rogério Ceni aceitou, aos 22 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, o Palmeiras voltou ainda melhor.

O time de Muricy Sem Dentes se mostrou perigoso nos contra-ataques, mas nosso goleiro teve uma atuação digna do apelido São Marcos. Aos 39 minutos, a redenção, enfim, ocorre: Wendel, que havia entrado no segundo tempo, dá linda escapada pela esquerda e, com precisão, serve Valdívia na área. El Mago fuzila Rogério Ceni e põe a última pá de cal na sepultura tricolor.

Uma partida inesquecível, na qual a torcida deu um banho de apoio, e o time, de garra. Destaque para todos, especialmente Leo Lima, o guerreiro que atende pelo nome de Alex Mineiro e o Mago, cuja verdadeira provocação aos adversários é jogar muita bola. A falta de luz durante alguns minutos no final e o incidente com gás no vestiário adversário não tiraram o brilho da incontestável vitória alviverde. E que venha a Ponte! Imagem: Globoesporte.com