Empresários, Lei Pelé e clubes: o que há está errado?

pierre_ds

Esse assunto é polêmico, e acredito que um só texto não seja suficiente para nos aprofundarmos nessa questão, mas vamos lá. Certo dia, conversando com o ex-treinador do Palmeiras, Luxemburgo, ele me colocou uma situação que ainda não havia pensado sobre parceiros, empresários, lei Pelé, etc.

Eu perguntei como era na época da Parmalat, e ele me contou que ali sim era um “projeto” (palavra que ele adora),pois os dirigentes do clube, da empresa e o técnico, sentavam e estudavam quais jogadores seriam contratados e quanto tempo ficariam no clube. Ou seja, não seriam aceitas propostas por nenhum desses jogadores, durante no mínimo 1 ano, mas que o projeto era pra 2 anos!

Daí eu perguntei porque hoje em dia a coisa não é mais assim, e ele me deu uma aula de gestão de futebol, porque isso ele conhece, ninguém pode negar (nem eu que nunca fui muito fã dele.). Ele me disse que precisa urgente mudar a relação clube-parceiros-empresários porque hoje em dia, o clube acaba servindo apenas de vitrine, não tendo lucro quase nenhum com isso.

Mesmo levando 20% da negociação do jogador, é o clube que paga salários, impostos e outros encargos. O parceiro, o real “dono” do jogador, acaba levando muita vantagem, pois compra uma revelação baratinha, a coloca no time grande, e em 6 meses vende, por um lucro gigantesco!

Ele acha que o parceiro, que segundo ele é necessário pra sobrevivência dos times de futebol, deveria também arcar com parte de salários e encargos.Ter mais responsabilidade pelo jogador , junto com o clube e também, ele, investidor, entender que precisa arriscar,deixar o jogador na equipe por mais tempo, para valorizar, afinal, segundo ele, jogador não se desvaloriza, a não ser que sofra contusão grave que o impeça de jogar futebol, ou morra, no que concordo com ele.

maicosuelO Luxa me deu o exemplo do Maicossuel, que não acertou no Palmeiras, mas que se deu bem no Botafogo e foi vendido pra Alemanha. Daí quando perguntei porque os dirigentes não acertam essas condições quando vão conversar com os parceiros, ele me disse: “-porque os dirigentes são despreparados e não entendem nada de gestão de futebol”.

Achei bem coerente essa idéia dele de os parceiros dividirem despesas com os clubes, sim, porque se o clube atrasa o salário, jogador já quer sair, e 20% de “lucro” na negociação final, não cobre meses de salário a esses jogadores.

E você torcedor? Assim como o Luxa, você também acha que os clubes levam desvantagem nas mãos desses empresários, ou os clubes pagam por sua incompetência para gerir o futebol?

uol_logoClique aqui para ouvir Mondo Palmeiras no UOL Mais (link alternativo).