Empate inútil não garante primeiro lugar ao Verdão

Normalmente, um empate conquistado na casa do adversário costuma ser um bom resultado. Na atual situação do Palmeiras, no entanto, de forma alguma valeria alguma coisa. Uma vitória significaria a conquista, com uma rodada de antecipação, da primeira posição na fase de classificação do Paulistão, que confere vantagens nas fases decisivas. 

Empate ou derrota significariam a mesma coisa: decidir apenas no domingo, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, essa situação. Por alguma razão, o técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu enfrentar a fraca equipe do Oeste, em Itápolis, com três zagueiros e dois volantes. Resultado final: o tal empate inútil, em um a um.

A equipe alviverde entrou com Marcos no gol, três zagueiros- Marcão, Maurício Ramos e Danilo- dois volantes- Pierre e Jumar, os laterais Sandro Silva (improvisado) e Pablo Armero, o meia Cleiton Xavier e Diego Souza improvisado no ataque, ao lado de Keirrison. 

Resultado: um time sem grande poder de criação, que só teve algumas chances de gol pela total indigência do adversário, cuja força estava na raça e no apoio da torcida. Aos 14 minutos, Keirrison perdeu o primeiro de três gols feitos. O Oeste fez um gol aos 16 minutos, bem anulado. 

Aos sete minutos da segunda etapa, Jumar, que sabe-se lá porque jogou praticamente de meia, fez sua única jogada válida na partida, chutando forte para boa defesa do goleiro adversário. Aos sete minutos, o folclórico cabeludo Nei Paraíba fez boa jogada e colocou o volante Ademar na cara do gol. 

O chute veio forte, e Marcos desviou a bola, mas não conseguiu evitar o gol. Diego Souza criou duas boas jogadas aos 13 e 16m, mas não teve sucesso. Aos 18 minutos, entraram Lenny e Marquinhos, nas vagas de Marcão e Jumar, e aos 24 minutos, Evandro, na vaga de Sandro Silva. 

Na base do “largol”, o Verdão empatou aos 25 minutos, em bola alçada na área da equipe de Itápolis que Maurício Ramos desviou para o fundo das redes. Aos 28, Lenny faz linda jogada individual e quase desempata. A partir daí, os comandados de Vanderlei Luxemburgo ciscaram muito e criaram pouco. Aos 47, Keirrison perdeu novo gol feito.

******

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras.