Empate garante a liderança palmeirense

Calor de 40 graus em Presidente Prudente.  O rival teve que entrar todo de preto em campo, e sentiu o calor e a pressão inicial alviverde.

Ao invés de ‘estudar o adversário’, o Palmeiras foi logo pra cima do Corinthians (que não vence um derby há TRÊS ANOS). Com toda a liberdade do mundo, Figueroa desceu por duas vezes pela lateral direita, invadiu a  área e cruzou mal, e aos 22 min, o cruzamento saiu muito forte demais, mas quase Obina deixou a sua marca no clássico.

Parecia que o gol estava ‘amadurencendo’. No entanto, as faltas começaram a tomar conta do jogo, e do meio-campo palmeirense que não mais conseguia conduzir a bola ao ataque.

Aí, o tal do J.Henrique começou a aparecer no jogo. Primeiro, pela direita num bom cruzamento para o Ronaldo, que cabeceou para fora. Segundo, invadindo sozinho a área, driblando o São Marcos, que o derrubou, foi expulso, levando o time do Palmeiras ao desespero.

Entrou o Bruno, saiu o Obina. Tomamos o gol, aos 39, e perdemos o rumo até o final da primeira etapa.

Voltamos para o segundo tempo. O Muricy tirou o Marcão para a entrada do Marquinhos. Substituição, que após alguns minutos se mostrou inútil.

Aos 6 min, bola na intermediária, Figueroa alça a bola na área e Danilo aparece para empatar a partida. Cheiro de virada no ar.

Sofrendo com a ineficácia dos seus meias, e com Vagner Love isolado lá na frente, o cheiro de virada virou pro outro lado.

Ao 20 min,o ‘novo Messi’ enfiou uma boa bola para Ronaldo do lado esquerdo da área. Bruno saiu um pouco atrasado, e o atacante fez o seu segundo gol.

O Palmeiras tentava jogar nos contra-ataques mas não conseguia passar pela defesa adversária. Jogo difícil. Muricy resolveu arriscar, tirou Souza e colocou Ortigoza, que logo de cara mostrou que merece um lugar nesse time.

Aos 38 minutos, mais uma bola alçada na área pelo Figueroa (o rei das bolas paradas), e o Maurício ‘da base’ empatou novamente o jogo. De novo, de cabeça.

Um vendaval levou o cheiro da virada para longe do Farahzão, e o jogo ficou nisso, apesar das boas chances criadas pelas duas equipes até o final da partida.

Um empate. Um ponto. Jogo decidido dentro de campo. E mais um ano sem perder do principal rival. Agora só falta o título.

Abraço a todos!

uol_logoClique aqui para ouvir a Rádio Mondo Palmeiras – Edição 153.