Em Recife, Cuca acerta o time e o líder Palmeiras vence mais uma no Brasileirão

Só quem não conhece o Palmeiras é que achava que ia ser fácil. Contra adversários teoricamente mais fáceis, o Verdão acaba se complicando e a vitória só veio depois de muita luta e graças a mais uma grande atuação do Jaílson.

Sem poder contar com Dudu, que cumpria suspensão automática, o técnico Cuca trouxe o Zé Roberto para o meio-campo e colocou o Egídio na lateral-esquerda. Com Erik, Roger Guedes e Gabriel Jesus no ataque, Cuca apostava na velocidade para abafar o Santa Cruz desde o início.

Sem Gabriel, que não vinha jogando bem, Cuca colocou mais qualidade no meio-campo. Isso ficou ainda mais evidente quando Zé Roberto marcou um golaço, por cobertura, uma pintura. Um gol de quem sabe muito de bola e gosta de jogar futebol. E vencer.

O domínio palmeirense no primeiro tempo prosseguiu mesmo depois do primeiro gol. O time do Santa Cruz estava muito nervoso e batendo muito. O Palmeiras poderia ter aproveitado e resolvido o jogo antes do final da primeira etapa.

Ah, sim. Ainda deu tempo de o Grafite tentou cavar um pênalti e o juiz não foi na dele. O próprio atacante acabou assumindo no intervalo que forçou a barra e acabou com a polêmica.

Para a segunda etapa, o Santa Cruz veio com Arthur no ataque, pelo lado esquerdo, e confundiu a defesa palmeirense. Cuca também mexeu, colocou Leandro Pereira no lugar de Erik e deslocou Gabriel Jesus para o lado esquerdo.

O Santa Cruz voltou bem melhor para o jogo e Grafite quase fez um gol de calcanhar. Jaílson fez mais uma grande defesa e impediu o gol de empate do Santa Cruz.

Eles conseguiram empatar o jogo com um chute certeiro do Arthur, que não deve acertar outro igual nesta temporada e Cuca mais uma vez mexeu no time. Egídio deu lugar para o Cleiton Xavier, que não vive o seu melhor momento, mas que entrou muito bem na partida.

Gabriel Jesus perdeu um gol incrível após driblar o zagueiro do Santa Cruz. Ele também poderia ter rolado a bola para o Leandro Pereira que estava sozinho, mas ele não botou muita fé. Eu também faria o mesmo.

Mas, para nossa surpresa, logo em seguida o Leandro Pereira aproveitou o rebote do zagueiro e fez o segundo gol do Verdão. 2×1 para calar a boca dos críticos.

Nem deu tempo para comemorar, pois Jean cometeu um pênalti infantil em Arthur. Uma falta muito parecida com outra, sofrida pelo Dracena pouco antes e juiz não apitou. 2×2 e mais desespero.

Uma assistência milimétrica de Cleiton Xavier para Roger Guedes nos salvou de um sufoco ainda maior. 3×2. Por que tem que ser sempre assim?

Bem, mais uma vez, o Palmeiras teve dificuldade para organizar o jogo no meio-campo. Isso está dificultando a nossa vida, mas ainda assim conseguimos vencer. Moisés segue se esforçando demais, está no seu limite físico, e Tchê Tchê precisa melhorar.

Gabriel Jesus não apanhou tanto assim, mas estava muito nervoso e fez uma falta no final do jogo que quase complicou a vida do Palmeiras. Se o atacante (impedido) faz aquele gol de cabeça, o jogo terminaria com um 3 a 3 com cara de derrota.

Entre gritos e gemidos, o juiz apitou o final da partida. Três pontos de vantagem sobre o segundo colocado e 19 rodadas de liderança indiscutível.

Ah, um aviso aos secadores: o cheirinho do Galo no cangote tá mais perto que o cheirinho do Porco na frente, hein?

Abraço a todos!