Em Itu, presidente se pronuncia sobre a saída de Barcos

paulo_nobre_itu


Tentando colocar uma pá de cal sobre essa polêmica transação que ainda não chegou a um final feliz para o Palmeiras, o presidente Paulo Nobre compareceu ao Spa Sport Resort, onde o time se concentra para o clássico de domingo e fez um pronunciamento sobre o assunto.

“O palmeirense precisa saber o seguinte: em primeiro lugar, o nosso jurídico disse que a situação do Barcos era precária e poderíamos perder o jogador de forma gratuita. O Palmeiras criou uma situação com o jogador, onde deu um aumento em dezembro, com data retroativa a outubro, e não honrou com o pagamento”, disse Nobre.

“É importante o torcedor saber que o jogador Barcos teve uma atitude 100 por cento com o Palmeiras, foi sério e respeitou a instituição. Tinha um bom relacionamento com essa diretoria. A partir do momento que passa a não ser mais harmonioso, tudo pode acontecer. Como presidente, eu tinha que tomar uma decisão e tomei a decisão melhor para o clube”, afirmou o presidente do Verdão.

“O Grêmio precisava do Barcos e o Palmeiras precisava de elenco. Foi bom para o jogador, que manifestou claramente que queria sair do clube, não por falta de respeito ou amor ao Palmeiras. Mas temos de entender que o Barcos tem o sonho de jogar a Copa do Mundo, e o treinador da Argentina deixou claro que, se ele jogasse a Série B, não teria motivos para convocá-lo.”, completou Paulo Nobre.

Além de falar à impresa, Nobre também se reuniu com o elenco antes do treino e apresentou os recém-contratados Leandro e Léo Gago.

Também estive presente na concentração e ouvi de várias pessoas ligadas à diretoria a mesma versão que o mandatário palestrino trouxe aos microfones.

O que mais me surpreendeu foi saber que, embora insatisfeito, o atacante em nenhum momento fez “igrejinha” ou tentou jogar o elenco contra a diretoria.

De acordo até com alguns atletas, todas as cobranças eram feitas em privado, longe dos demais companheiros, e que nunca faltou profissionalismo por parte do atleta.

Mesmo diante de tudo isso, várias questões ainda permanecem sem resposta:

– Quais os jogadores que o Grêmio havia prometido de fato?

– Qual a quantia exata que o Palmeiras irá receber ao final da transação?

– Por que a LDU não foi consultada antes da conclusão do apressado negócio?

E a verdade continua a ver navios…Abraço a todos!