Em entrevista coletiva, Cuca justifica trocas com o Cruzeiro

Depois do estardalhaço causado pela troca de Lucas e Robinho por Fabrício e Fabiano, do Cruzeiro,  o técnico Cuca resolveu ir para os microfones para tentar explicar o que está acontecendo no Palmeiras.

Claro que a primeira pergunta foi justamente sobre a troca com o clube mineiro:

“O Fabiano é um lateral um pouco mais defensivo e a gente tem o João Pedro para trabalhar nessa função mais ofensiva, além do Jean, que eu pretendo colocá-lo como segundo volante, com aquela saída de bola boa. O Fabrício vem na condição de um polivalente. Pode fazer a lateral, um homem de meio ou linha de quatro pela esquerda. As duas equipes ficam bem servidas, não é o caso de ver quem sai ganhando ou perdendo. Você dá uma mexida no elenco”, disse o treinador. 

Outra dúvida que estava sendo levantada pela torcida era sobre algum outro motivo, não técnico, que estaria por trás da troca:

“Meramente técnico, não tem queixa nenhuma dos jogadores. São dois excelentes caráteres, tanto o Robinho quanto o Lucas. Pessoas íntegras, responsáveis, não tem queixa nenhuma. Pelo contrário”.

Para Cuca, a altura dos novos reforços contou bastante para a contratação.

“O Fabrício tem 1,85m, o Fabiano tem 1,88m, ajudam nesse perfil. O Fabrício é de dinâmica, polivalente. Teve problema em outros clubes, mas antes da vida dele teve uma conversa bastante franca com ele e vai nos ajudar. O Fabiano, antes de ser lateral, era zagueiro, então você pode também usá-lo nessa posição”.

Cuca também tratou de confirmar que outros atletas devem sair e outros chegarão:

“Tem que reforçar também. Dentro do que a gente projeta para o segundo semestre, tem que fortalecer e vamos em busca. Com calma, com tranquilidade, sabendo que o grupo é bom e pode ficar melhor”.

O treinador não deu sinais que deverá aproveitar os argentinos Pablo Mouche e Tobio.

“Não tenho pensado muito em utilizá-los. Às vezes falo até o que não devo. Tenho pensado em montar o elenco, dar uma saída para o interior e dar uma trabalhada tática boa em cima disso. Não tem um número exato de jogadores. Se você começa o ano com cinco competições e cai para duas, lógico que não precisa ter um elenco tão grande, até para subir alguns meninos e eles terem oportunidade.”

Cuca disse que outros jogadores da base serão aproveitados:

“Nesse último jogo, que foi importantíssimo, tínhamos três ou quatro meninos titulares. Estamos subindo mais dois (Vitinho e Augusto), não porque são da base, mas porque são bons”.

Vamos falar muito mais sobre isso tudo no Bate-papo entre amigos de hoje. Fique ligado!

Abraço a todos!