Nada de surpresas nas eleições indiretas do Palmeiras

Analisando friamente o cenário político palmeirense, deu a lógica. Paulo Nobre perdeu feio, como era de se esperar.

Claro que essa derrota foi causada, em parte, pelos resultados pífios da administração Belluzzo/Cipullo no futebol, mas o principal fator que levou Arnaldo Tirone ao poder foi o sistema político atual.

A vontade do torcedor, que é quem realmente sustenta o clube, mais uma vez foi ignorada solenemente, e apenas resta a essa enorme massa acatar a decisões tomadas por essa meia dúzia.

É justamente este sistema político que deve mudar, e não apenas os dirigentes. Se as regras do jogo não forem alteradas, será sempre assim. Uma ditadura em pleno século XXI.

Seja como for, tudo leva a crer que o futuro será bem menos turbulento lá no clube. O grupo do presidente é muito forte no COF, elegeu todos os vice-presidentes, e terá poucos problemas internos para governar.

No futebol, que é o que realmente interessa pra gente, mudanças drásticas devem ocorrer. Roberto Frizzo vai conter os gastos do departamento, e jogadores com altos salários vão sair.

Ídolos como Valdívia e Kleber devem continuar, duvido que alguém queira comprar uma briga dessas com a torcida.

Será que os garotos da base terão mais chances no time principal? Ótima pergunta.

Boa sorte aos vencedores, e para os perdedores vale aquele velho ditado: “quem não atrapalha já ajuda”.

Abraço a todos!

*****

Ouça abaixo o Torpedo Verde Especial com Raul Bianchi falando sobre o que viu e ouviu ontem na Academia de futebol: