E que venha 2016!

Depois da conquista do título da Copa do Brasil, e da sensacional festa que a torcida fez para comemorar mais esse título, 2015 terminou muito bem para o Palmeiras.

Com a vaga para a Libertadores garantida, todos aguardavam ansiosamente para o início do “mercado da bola”.Ninguém imaginava que 22 atletas seriam contratados. Pelo menos, reforços pontuais e alguns nomes de peso seriam trazidos para aquelas posições que o elenco já estava carente.

Bem, nenhum “camarão”, como dizia o Felipão, chegou até agora. Perdemos o discutível Aranha e ganhamosVágner, ex-Avaí e Ituano, que é uma ótima aposta para substituir Fernando Prass quando for necessário.

Perdemos dois zagueiros (Victor Ramos e Jackson) e contratamos, Roger Carvalho, que chega para compor elenco e o Edu Dracena, com potencial para voltar a ser titular.

Será que ele consegue? Sinceramente, não sei porque criticam tanto o Edu Dracena. O cara é um líder dentro e fora de campo, sempre jogou bem em todas as equipes onde atuou e merece um voto de confiança.

Depois do susto que passamos com a contusão de Gabriel, a diretoria tratou de reforçar o meio-campo com o bom Rodrigo, do Goiás, que estava sendo disputado por vários outros grandes clubes mas preferiu jogar no Palmeiras.

Juan, do Fluminense, também queria vestir a camisa do Palmeiras, até exames fez. Era uma ótima opção para o meio-campo mas, como se trata de um jogador “fatiado” a negociação acabou virando uma novela…sem final feliz.

Se o time precisava de um meia, Moisés, que fez uma boa temporada na Portuguesa em 2014 antes de ir para o HNK Rijeka (da Croácia) chega como uma aposta. Confesso que não me recordo deste jogador e ainda estou tentando entender o que motivou a sua contratação.

Por outro lado, trazer o Régis, do Sport, foi mais um chapéu no Santos. O meia estava na mira da diretoria santista há um bom tempo, mas acabou optando pelo Palmeiras. Vem por empréstimo até o final do ano e tem tudo para dar certo por aqui também.

Talvez o atacante Érik, seja a principal contratação até agora. O atacante quase foi para a Europa, também era alvo de outros clubes brasileiros, mas veio para o Palmeiras, que ficou com 60% dos direitos econômicos do jogador.

Com apenas 21 anos, Érik foi um dos poucos jogadores que conseguiu se destacar no fraco time que o Goiás montou em 2015. Ele já havia sido escolhido como a revelação do Brasileirão 2014 e foi convocado várias vezes para as Seleções de base.

Acredito que Érik, se não tremer e nem se perder nos encantos de SP, será mais uma ótima opção para o ataque palmeirense. Ele nem jogou e já é um dos jogadores mais valiosos do elenco.

Enfim, o elenco foi reforçado, mas ainda faltam algumas peças. Zé Roberto pode se aposentar a qualquer momento e precisamos de outro lateral esquerdo. Também acredito que outro zagueiro também possa chegar, além de algum “camarão”.

A pré-temporada deve começar pra valer na próxima semana e muita coisa ainda pode acontecer. A única certeza que eu tenho é que o Palmeiras estará ainda mais forte em 2016.

Abraço a todos!