E nao é que o “Cucabol” acabou com a invencibilidade do rival em Itaquera

Vencer em Itaquera não é nenhuma novidade para o Palmeiras. O Verdão sempre se deu melhor nos duelos contra o rival e não foi diferente desta vez. 2×0 foi muito pouco, tamanha a superioridade palmeirense. Aliás, vencemos os TRÊS dérbis neste ano!

O resultado foi ótimo pela rivalidade gigantesca e pelo campeonato, mas o jogo foi fraco. Um festival de passes errados e muito erros, inclusive de arbitragem. O Heber Roberto Lopes é um daqueles árbitros que consegue a façanha de desagradar todas as torcidas.

Não dar cartão nem cartão amarelo para o Vilson, que abriu a cabeça do Roger Guedes com umacotovelada criminosa foi algo surreal.

Também foi estranho ver o Leandro Pereira começando a partida como titular. O que ele tem feito nos treinamentos para merecer isso? Bem, em campo ele não fez absolutamente nada a não ser perder um gol feito, depois de uma ótima jogada do dedicado Moisés.

Ainda assim, com muitos erros de passe e umcentroavante sem ritmo de jogo, o Palmeiras logo de cara já tomou conta da partida.

Parecia que estava jogando em casa, principalmente depois do gol marcado nos primeiros minutos pelo persistente Moisés e que acabou jogando a torcida “que nunca abandona o time” contra a diretoria, contra o “prestigiado” Cristóvão Borges, etc…

A boa marcação do meio-campo palmeirense não permitia que os caras avançassem muito e eles acabavam entregando a rapadura rápido. Apesar de ter o controle da partida, o Palmeiras não conseguia criar boas chances para ampliar o placar.

A melhor chance que tivemos foi o Erik, que cabeceou em cima do Cássio. O mesmo Erik perdeu outra chance incrível no segundo tempo, quando eles já estavam entregues e com um a menos em campo. Desse jeito fica difícil.

Antes do início segunda etapa, Cuca tirou o Gabriel, que havia tomado um cartão amarelo, e colocou o Thiago Santos. Se a saída de bola já estava difícil, imagina com o Thiago Santos em campo? Pois é.

Quase fizemos o segundo gol, de cabeça, com Edu Dracena, numa jogada onde ele e outros palmeirenses estavam sozinhos dentro da área adversária. Foi até chocante ver a fragilidade da defesa dos caras.

Depois disso, o jogo ficou perigoso. O Palmeiras recuou demais e acabou dando chance para o azar, atraindo o adversário para o nosso campo de defesa. Sorte que aquele Gustavo é muito ruim e Edu Dracena fez mais uma partida impressionante. Pergunte ao Romero.

E o que dizer sobre o ótimo Yerry Mina? Além de esbanjar categoria, precisão e não perder nenhuma lá atrás, o colombiano ainda fez um gol que decretou a vitória do Verdão e a queda do Cristóvão Borges. Depois do gol, ainda tivemos a alegria de ver um “armeration” em Itaquera. Que coisa sensacional!

Roger Guedes e Erik ainda perderam duas chances incríveis de meter quatro a zero nos caras enquanto o pau comia nas arquibancadas. Por falar nisso, torcedores do Flamengo hoje também quebraram cadeiras no Pacaembu e o STJD carioca finge que nada aconteceu.

Bem, quem dizia que o “Cucabol” não conseguiria sobreviver a uma sequência mais difícil se deu muito mal. Enfrentamos Fluminense, São Paulo, Grêmio, Flamengo e Corinthians. Fizemos 11 pontos em 15 possíveis.

Por favor, sigam metendo o pau mesmo, está dando sorte. Agora é recarregar as baterias, manter o foco e seguir na luta para conquistar esse título sem baixar a guarda. E o pessoal do cheirinho segue na cola…melhor assim.

Abraço a todos!