Diego Souza ainda cabe no Palmeiras em 2017?

Tudo mundo sabe que o Palmeiras precisa de outro atacante. Dispensamos o Alecsandro, o Rafael Marques e ficamos apenas com o Miguel Borja para o comando de ataque.

Bem, o Borja ainda não se adaptou ao estilo de futebol do Palmeiras. Sim, vivemos a era da recomposição rápida, da marcação sob pressão e atacante que fica plantado na área esperando a bola não tem mais espaço. Por isso, ele segue no banco de reservas mesmo sendo a contratação mais cara do ano.

Richarlison, do Fluminense, seria o cara para ocupar essa posição, mas a negociação vazou na hora errada e o negócio foi pra frente. Depois, o alvo foi o Diego Tardelli, jogador dos sonhos do Cuca, com quem o treinador já trabalhou no Atlético-MG, mas que hoje mora China e onde fatura milhões. Também não deu certo.

Agora, a diretoria negocia com o meia-atacante Diego Souza, que já passou por aqui em 2008 e hoje atua no Sport. Para o atleta, que tem sido convocado para a Seleção Brasileira, uma transferência seria interessante demais.

No Palmeiras, ele vai aparecer mais para o técnico Tite, até porque viria com o aval do técnico Cuca que deve utiliza-lo muitas vezes no time titular. Sim, ele tem a mobilidade que o treinador espera de um atacante e ainda pode jogar como meia. Trata-se de um jogador versátil.

E ele cabe nesse time? Não sei. Diego Souza é um jogador liga-desliga. Ele pode arrebentar num dérbi, fazer um golaço na semana seguinte e depois pode “sumir” em campo nas próximas quatro rodadas. Foi assim em 2007 por aqui e tem sido hoje assim também nos dias de hoje lá no Sport.

Além disso, esse negócio de ir atrás de jogadores que fizeram sucesso por aqui no passado não costuma dar certo. É a velha “síndrome da ex-namorada” dando as caras novamente.

Abraço a todos!