Denílson vibra com vitória contra ex-clube e enaltece Verdão

O atacante Denílson transbordava felicidade após os 4 a 1 sobre o São Paulo. Ele entrou durante o segundo tempo no lugar de Alex Mineiro e chamou a responsabilidade para si, ao bater o pênalti que deu início à goleada alviverde em Ribeirão Preto. “Pedi a bola para bater porque estava confiante, sem medo. Queria muito ter marcado esse gol, não só pelo fato de ser contra meu ex-clube, mas para brindar e comemorar ao lado dos torcedores do Palmeiras, que foram extremamente receptivos durante a minha chegada”.

Durante entrevista coletiva, Denílson afirmou que há muito não se sentia tão bem em um clube.”O clima do Palmeiras é fantástico para trabalhar, desde o presidente até o faxineiro. Esse ambiente pesa muito para os atletas, que gostam e curtem o que fazem, seja nos treinamentos, seja no dia dos jogos”.

Para o jogador, a ordem agora no grupo é manter a serenidade. “Ganhar um clássico de 4 a 1 é sempre muito gostoso. É realmente diferente a satisfação de vencer uma partida assim. O time todo foi muito bem, demonstramos força no momento certo. Mas como disse o Vanderlei, esse grupo ainda não conquistou nada. Falta bastante coisa ainda.”

A postura de Denílson dentro de campo foi elogiada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo.
“Ele teve atitude no momento do pênalti, pois pegou a bola e pediu para bater. Isso mostra a pessoa que ele é. E fez bem em comemorar o gol. Tem que parar com essa baboseira que não pode comemorar contra ex-clube. O jogador precisa sempre representar a camisa que está vestindo”, afirmou.

Jogador que rendeu em 1998 a maior negociação de um atleta de futebol brasileiro para o exterior, ou seja, encheu o cofre do São Paulo de dinheiro, Denílson tem toda razão de se sentir magoado com o ex-clube. Ele pediu para treinar e recuperar a forma no CT do time do Jardim Leonor, solicitação que lhe foi negada.

De quebra, o fanfarrão Marco Aurélio Cunha ironizou o jogador, dizendo que ele iria entrar comendo melancia no CT, rindo, e quebraria a concentração da equipe para a disputa da Taça Libertadores daquele ano, da qual a equipe seria posteriormente eliminada nas oitavas de final, pelo fraco Grêmio de Mano Menezes. Por sua vez, o Palmeiras abriu as portas da Academia de Futebol para o craque, que se recuperou, jogou nos EUA, voltou e posteriormente acertou seu ingresso na Sociedade Esportiva Palmeiras. Agora, começamos a colher os frutos.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Palmeiras

*************

Ouça também o Torpedo Verde, boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras, hoje trazendo notícias sobre o clássico, e todo o barulho depois do jogo.