Decidiram na hora certa e o Roger Machado está chegando

Nenhum treinador que fosse contratado seria unanimidade no Palmeiras. Quando eu digo nenhum, estou afirmando categoricamente que NINGUÉM seria recebido de braços abertos pela torcida.

Roger Machado era o plano B. Abel Braga, que ainda está trabalhando no Fluminense, era plano A, mas não dava para esperar até o começo de 2018 para que ele fosse contratado. OK, são perfis completamente diferentes, mas o futebol brasileiro é assim mesmo. O que vale é a “grife do treinador”.

Não acho que o Roger já seja um treinador tarimbado. O gaúcho Roger fez apenas um bom trabalho no Grêmio, clube que já conhecia muito bem e caiu nas graças dos jornalistas especializados ao aplicar conceitos modernos e fazer um time fraco jogar muito bem.

Com um elenco apenas mediano, ele montava a equipe de acordo com o adversário, mas sempre apostava na movimentação intensa dos volantes e rápidas trocas de passes nos contra-ataques para aniquilar os adversários. Ao mesmo tempo, ele conseguiu arrumar a defesa do time, com as duas linhas sempre bem postadas lá atrás. Quase um novato, Roger conseguiu terminar o campeonato na terceira posição.

Depois, no Atlético-MG, não conseguiu repetir o bom trabalho feito em Porto Alegre e acabou engolido pela sequência de resultados negativos num time recheado de decadentes estrelas. Não adianta dizer que faltou tempo ou que não tiveram paciência. Estamos no Brasil.

Como será no Palmeiras? Difícil dizer, mas posso afirmar que ele chegou na hora certa. O treinador vai participar da montagem do elenco para a próxima temporada e terá pouco tempo para implantar a sua “filosofia”. Se terá apoio da torcida ou não, tudo vai depender dos resultados no Paulistão. A desconfiança com o Roger é enorme, como seria também com o Abel ou qualquer outro escolhido para essa difícil missão.

Seja como for, espero que ele nos ajude a montar um bom time e que cumpra o seu contrato até o final. Quem consegue isso no Brasil? Tomara que o Roger consiga. A pressão por vitórias e títulos é grande e seguirá assim em 2018.

Boa sorte, Roger!