Com ânimo redobrado e muita vontade em campo, Palmeiras vence o Goiás

Aparentemente, o time que entrou em campo neste sábado sob o comando do técnico interino era bem parecido com aquele que foi derrotado no Maracanã, no último domingo.

Apesar de poucas alterações na escalação, Josimar foi pro banco e Diogo apareceu no ataque, a motivação dos atletas era outra.

Ninguém sabe ainda ao certo quem será o próximo treinador, mas todos querem “mostrar serviço” para ele, certo? Isso ficou evidente hoje.

Se é que existe uma contusão bendita, ela atingiu justamente o lateral Juninho. Com isso, William Matheus começou entre os titulares.

Foi justamente dos pés (e das mãos) do esquecido lateral esquerdo que surgiram as jogadas dos dois gols palmeirenses.

Logo de cara, o Palmeiras voltou a dar muitos espaços ao time adversário. Araújo perdeu um gol feito logo nos primeiros instantes do jogo.

Felizmente, o nosso primeiro gol saiu aos 15 minutos quando William Matheus foi cobrar uma falta na intermediária. O lateral meteu a bola na área e Lúcio chegou de surpresa pra desviar forte no canto direito alto do goleiro Renan.

Foi o primeiro gol do zagueiro com a camisa do Palmeiras. Ele comemorou muito o gol e esbanjou raça durante toda a partida.

O gol trouxe mais tranquilidade ao Palmeiras, que jogava mais compactado, dando poucos espaços e marcando a saída de bola do Goiás, que ficou encurralado no campo de defesa.

Aos 31 minutos, William Matheus foi cobrar um lateral perto da área. Ele mandou a bola lá dentro e o Henrique subiu mais que todos os zagueiros do Goiás para desviar de cabeça no canto esquerdo do gol. 2×0.

Cá entre nós, se conseguir manter essa média de gols, 1 por partida, o atacante Henrique vai fazer a torcida esquecer o Kardec muito rápido.

Embora não seja um jogador muito técnico, Henrique tem faro de gol, está sempre bem colocado na área e participa mais do jogo que o ex-camisa 14.

Aos 39 minutos, o lateral Wendel fez um ótimo cruzamento pela direita. A bola estava endereçada para Leandro, mas parou mesmo em Henrique, que desviou pra fora.

Se a bola tivesse ficado para Leandro, que ajudou muito na marcação hoje, seria o terceiro gol palmeirense e liquidaria a partida já no primeiro tempo.

Na segunda etapa, o técnico do Goiás fez duas alterações e seu time conseguiu manter mais a bola no ataque. No entanto, ambas equipes abusaram dos passes errados e a forte marcação palmeirense destruiu todas as jogadas do time goiano.

A melhor jogada do segundo tempo partiu dos pés de Valdívia, aos 26 minutos, que olhou para o lado direito e lançou para a esquerda onde descia o zagueiro/volante Marcelo Oliveira. Infelizmente, a finalização foi muito ruim.

Como a lista dos convocados para a seleção do Chile sai nesta semana, Valdívia deu um show a parte. Não errou nenhum passe, deixou os companheiros várias vezes na cara do gol e, como sempre, apanhou muito.

O técnico interino Alberto Valentim sacou Leandro para a entrada de Chico, um dos destaques da Copinha no ano passado. O garoto entrou bem na partida.

Depois, Valentim sentiu a ira da torcida ao tirar Wesley para colocar o sofrível Josimar em campo. Tanto o atleta quanto o jogador foram vaiados no Pacaembu.

E não era para menos. Pouco antes do final da partida, Josimar, livre de marcação, recebeu um cruzamento dentro da área, mas dominou a bola com a mão. Esse cara não tem condições.

O jogo terminou e o Palmeiras conquistou a sua segunda vitória no Brasileirão. Creio que o mais importante foi mostrar que é possível apresentar um futebol aceitável mesmo com esse elenco que temos hoje.

Isso não quer dizer, no entanto, que não precisamos de reforços para ontem em várias posições e nem que o interino Alberto Valentim deva continuar no comando da equipe até a Copa. É preciso definir logo quem será o treinador antes que isso vire mais uma “novela”.

Abraço a todos!