Collor de volta: e o Verdão com isso?

Fernando Collor de Mello está de volta. Na verdade, o célebre ex-presidente que acabou sendo “deixado só” e apeado do poder em 1992 já cumpriu há tempos o período em que não podia se candidatar a cargos eletivos, e desde 2002 concorre novamente. Desta vez, o empresário de 56 anos, dono do maior grupo de comunicação de Alagoas, é candidato a senador, e corremos o risco de ver o cidadão eleito. A disputa dele com o atual líder das pesquisas, o ex-governador Ronaldo Lessa, vem diminuindo, e Lessa ainda poderá não assumir, se eventualmente for eleito, devido a problemas com a justiça eleitoral. Aí, entrará o segundo colocado, que tudo leva crer, será Collor.

Em sua edição de domingo (dia 17), a Folha de S.Paulo publicou na página A12, caderno Brasil, matéria de página inteira cobrindo a passagem do “Demolidor” (era o apelido da figura na fase de vacas gordas) em campanha na cidade de Major Izidoro, com 20 mil habitantes e distante 200 quilômetros da capital do estado, Maceió. Ao lado da nova esposa, Caroline, quase trinta anos mais nova e que teve gêmeos há três meses, Collor aparece um pouco mais gordo, mas com a cara de pau habitual.

Bem, quem teve a paciência de chegar até aqui deve estar se perguntando: mas o que, afinal, o “Caçador de Marajás” tem a ver com nosso sacrossanto Verdão? Pois lá vai: na maior foto da matéria, que mostra a passeata do ex-presidente pela cidade, dá para se ver em destaque, tocando um bumbo, um cara com a camisa do Palmeiras. E não é aquela dos tempos da Parmalat, não, é uma com o visual de 2004/2005. Dá para acreditar? No interior do nordeste…..

E depois dizem que “o Corinthians e o São Paulo é que são nacionais”, que “ninguém torce para o Palmeiras fora de São Paulo” etc. Lembram-se das legiões de palmeirenses que lotavam os estádios no norte e nordeste durante nossa epopéia na Série B? É, ainda vão dar a nosso time seu devido valor. Se possível, sem o Collor de volta a Brasília, toc, toc, toc!