Clássico equilibrado acaba em 0 a 0

marcao_classico_spfc

Equilíbrio foi a palavra de ordem na partida de hoje entre Palmeiras e São Paulo. Se na primeira etapa a equipe alviverde decepcionou com um desempenho fraco, permitindo várias chances ao adversário, na etapa final o Verdão teve o jogo nas mãos, e só não conseguiu a vitória graças ao maior entre os diversos erros cometidos pelo fraquíssimo árbitro Rodrigo Braghetto: a não marcação, aos 8 minutos, de um pênalti escandaloso de Miranda em cima de Diego Souza. No fim das contas, só sobrou mesmo o empate para os eternos rivais, em partida de baixo nível técnico.

Como prova de sua teimosia eterna, Vanderlei Luxemburgo insistiu em escalar três zagueiros (Marcão, Maurício Ramos e Danilo) e dois volantes (o ainda fora de forma Mozart e o patético Jumar Bianchi), que, por paradoxal que possa parecer, davam muito espaço aos contra-ataques do só para variar retrancado time do São Paulo. Resultado: Marcos teve de se desdobrar em pelo menos cinco oportunidades, evitando que o time de Muricy Sem Dentes abrisse o marcador.

Destaco defesa milagrosa após cabeçada de André Dias aos 8 minutos, saída perfeita nos pés de Dagoberto aos 12 minutos e ágil intervenção após chute a queima roupa de Washington aos 37 minutos. Enquanto isso, tivemos apenas duas chances, em chute de fora da área de Diego Souza aos 20 minutos e conclusão de Keirrison aos 31, para bela defesa do goleiro Denis.

Com as entradas de Lenny no lugar de Danilo e Souza no de Mozart, o Palmeiras encorpou e foi para cima da agremiação do Jardim Leonor. Além do absurdo pênalti não dado em Diego Souza, Cleiton Xavier (bom chute aos 4 minutos) e Keirrison (chutou para fora após lançamento perfeito do CX 10) tiveram boas oportunidades de definir a partida (veja abaixo).

Aí, o péssimo Braghetto deu um injusto segundo amarelo para Maurício Ramos, aos 30 minutos, deixando-nos com um a menos. Dagoberto aos 43 minutos, e Washington, aos 46, poderiam ter definido a vitória adversária, não fosse novamente a determinação de um São Marcos inspirado. Aos 47, Richarlyson tomou o vermelho, e um minuto depois, Diego Souza cabeceou bem, para a última defesa de Denis.