Cheirinho de SEIS PONTOS de vantagem…ou seriam oito?

Em um Allianz Parque quase cheio, o Palmeiras deu mais um passo importante para a conquista do Campeonato Brasileiro.

Cuca não podia contar com Gabriel Jesus. O treinador optou pelos argentinos Lucas Barrios e, acredite, Allione pelo lado direito do ataque. Acredito que a ideia era que Barrios fizesse o pivô lá na frente para a chegada de Dudu (que jogou muito) e Allione até a área adversária. Não deu muito certo.

O meio-campo não funcionou como deveria e o Sport ameaçava o goleiro Jaílson, que levou o terceiro cartão amarelo, com muita frequência. O que a gente via o tempo todo também eram placas de grama subindo enquanto os atletas pisavam no gramado. O que mais precisa acontecer para essa construtora agir?

O primeiro gol palmeirense saiu graças a um belo lançamento de Moisés. Dudu, que estava inspiradíssimo, não perdeu a oportunidade e mandou a bola para o fundo da rede. 1×0.

Mesmo depois do gol, o Sport continuou pressionando e conseguiu empatar o jogo pouco tempo depois. O Palmeiras seguia muito mal na partida quando, numajogada típica do Cucabol fez o seu segundo gol, com Tchê Tchê.

No final da primeira etapa, o Diego Souza reclamou muito sobre um pênalti não marcado. A bola realmente bateu no braço do Yerry Mina e logo em seguida, na mesma jogada, um zagueiro do Sport derrubou um palmeirense na área. Ricardo Marques não viu nenhuma das infrações.

No segundo-tempo, o Palmeiras continuou jogando um futebol muito abaixo do que a torcida espera. Espetáculo? Parece que o time está mais preocupado em administrar a sua liderança no Brasileirão do que ouvir a torcida gritar “olé” nas arquibancadas. Jaílson tem sido uma peça muito importante para isso e fez boas defesas para garantir o 2 a 1.

Alecsandro ainda entrou no lugar de Lucas Barrios para dar mais movimentação ao ataque. Já repararam que o Barrios jamais aguenta atuar por 90 minutos? Que coisa.

Bem, valeu pela vitória, pela festa da torcida. Mas o melhor mesmo foi ver mais um tropeço da “turma do cheirinho” e a vantagem palmeirense subindo para seis pontos. Se não fosse aquela vergonha que foi a interferência externa ratificada pelo STJD, a liderança seria ainda maior. Oito pontos, para ser mais exato.

Que o elenco aproveite bem a semana livre para treinar para o nosso próximo duelo, contra o Santos, no próximo sábado, na Vila Belmiro. Tenho certeza que será um desafio muito maior, mas uma vitória ali, nos deixará ainda mais próximo do nosso principal objetivo na temporada.

15 jogos de invencibilidade. 20 vitórias. 5 derrotas. Melhor visitante. Melhor ataque. Melhor saldo de gols (27). Cheirinho de trabalho muito bem feito e que está no caminho certo, mas ainda tem muita coisa pra acontecer nesse Brasileirão…calma lá!

Abraço a todos!