Chegou a hora de vencer, vencer e vencer

No dia sete de fevereiro, escrevi um texto intitulado A Estrada Para a Redenção. Confiram. Quem tiver preguiça, aí vai o resumo: como forma de retomarmos o caminho da classificação, precisaríamos detonar nossos próximos quatro fracos adversários – Guarani, Juventus, Rio Claro e Rio Preto. Infelizmente, isso não ocorreu.

Os dois primeiros desafios foram vencidos, mas contra os virtualmente rebaixados times com Rio no início de seus nomes, travamos e ficamos em dois empates. Resultado: a coisa ficou difícil. Mas não impossível. E eu acredito sempre, até o último momento. Então, lá vai a situação atual, e o roteiro para chegar lá.

No momento, nosso Alviverde Imponente está em nono lugar, com 16 pontos ganhos, quatro vitórias, quatro empates e três derrotas, 15 gols a favor e 11 contra, saldo positivo de quatro. Estamos a oito pontos do líder, o cavalo paraguaio que atende pelo nome de Guaratinguetá, a seis do time que ama entregar o ouro para o time da Marginal Sem Número, a Ponte Preta, e a quatro de Barueri, Corinthians e São Paulo, respectivamente terceiro, quarto e quinto lugares.

Ou seja, precisamos de, no mínimo, duas rodadas (com ajuda dos adversários) para voltar ao G4. E só faltam oito rodadas, 24 pontos a serem disputados. Ou seja, como diria o Felipão, classificar o Verdão para as semifinais do Paulistão 2008 será um parto.

A sorte é que os adversários, em sua maioria, estão na disputa junto conosco. Serão, além dos Manos do Menezes no próximo domingo, a Ponte Preta, o Barueri, o Jardim Leonor, o Bragantino, a Lusa, o São Caetano (time que Flávio Canuto ama) e o Paulista.

Desses oito jogos, pelo menos umas cinco vitórias serão necessárias. Pelo menos! Mas uma coisa é certa. Se o time conseguir superar esse desafio, chegará às semifinais com pinta de campeão. Ficamos na torcida, e que a reação se inicie contra Eles.