Atacantes ou calmantes: do que precisamos?

Por Flavio Canuto

Apesar do péssimo resultado de ontem, quando perdemos para o desinteressado time do Vasco, o Palmeiras ainda tem condições de seguir na Copa Sul-Americana, e está bem colocado no Brasileirão.

Se conseguirmos ao menos nos manter entre os primeiros colocados do campeonato nacional, vamos disputar a Libertadores 2012.

Para o “sincero como não se pode ser” goleiro Marcos, no entanto, isso não quer dizer muita coisa.

“Vamos entrar na Libertadores para perder? Temos de entrar com time competitivo para ganhar. Se entrarmos com o time que temos, sabemos que não vamos ganhar. Não é uma crítica aos jogadores. Kleber, Luan, Dinei e Maikon são excelentes atacantes, mas temos de ter mais opções”, disse Marcos após o final da partida.

Vale lembrar que já tivemos outras opções, como Wellington Paulista, que até mesmo os atacantes da base não foram aproveitados ( alguns estão deixando o clube),e o que sobrou foi isso aí.

Claro que o treinador é culpado por suas escolhas, nem sempre compreendidas. Sim, mas e a diretoria de futebol, que tem como princípio básico formar um grupo que possa disputar campeonatos de maneira digna, eles não são cobrados?

Meu Deus! Se um clube com a estrutura, o dinheiro, e a força do Palmeiras não consegue formar um grupo de atletas apto para disputar uma competição como a Copa Sul-Americana, é claro que falta gente competente lá dentro para desempenhar esse trabalho.

Seja como for, a vaca ainda não foi pro brejo, e o que temos que fazer nesse momento é apoiar esses jogadores que estão aí para que eles voltem a fazer o que não estão conseguindo: vencer partidas.

Outra alternativa é não se pronunciar, para não piorar ainda mais as coisas.

Não sei qual delas é a mais difícil, mas vamos lá…

Abraço a todos!