Cai a máscara: Magrão no Corinthians

A notícia caiu como uma bomba: Magrão acertou com o Corinthians, onde deverá jogar nos próximos dez meses. O jogador afirmou em programas de tevê, via fone, que ainda não estava tudo acertado, mas seu empresário (que é quem manda nele, óbvio) garante que está, sim. Ou seja, imagino como está a cara daqueles que sempre elevaram esse jogador ao céu, como “dotado de muita garra e enorme amor pelo Palmeiras”. A casa caiu. Ou melhor, a máscara.

Primeiro, vamos ao óbvio. Jogador de futebol, especialmente a partir dos anos 80, tornou-se pura e simplesmente profissional. Hoje no time A, amanhã no B, e a vida segue. Da mesma forma que nós, simples mortais, mudamos de emprego para tentar progredir na vida. Simples assim. O problema é quando esses “profissionais” se esquecem disso e se metem a iludir quem encara o futebol como paixão, e segue seu time com fidelidade. Mr. Magrão cansou de declarar fidelidade eterna ao Palmeiras, e chegou ao ponto de dizer que faria uma tatuagem com o escudo do time. Pior: garantiu que nunca jogaria no Corinthians, nosso arqui-rival. Ninguém obrigou a figura a falar essas coisas. Como ele se deu ao trabalho de dizer isso tudo, agora tem de arcar com as conseqüências. Vai ser pressionado por nossa torcida, e, se não jogar bem no time de Parque São Jorge, também será muito hostilizado pelos “co-irmãos”. Aliás, ontem, no Parque Antarctica, já mereceu corais não muito simpáticos por parte da torcida alviverde.

A fama de Magrão no meio da bola é meio obscura. Dizem por aí que é aquele tipo de jogador de “igrejinha”, ou seja, que desagrega os grupos dos quais participa. No Palmeiras, não ganhou nada, a não ser o título da Segundona. Tinha raça, é verdade, mas nunca chegou aos pés nem sequer de Galeano, que dirá de Dudu, César Sampaio e outros grandes volantes do Verdão. Eu não queria ele de volta, não.

Quer saber? O Corinthians está certíssimo. Contratou um jogador que é a cara deles, e com uma grande vantagem: já jogou campeonatos de Segunda Divisão……