“Bom e barato” só por enquanto, Felipão?


Por Flavio Canuto

Já tinha ouvido por aí que a diretoria atual iria conter os gastos nesta temporada, sanar as dívidas deixadas pela administração anterior, e montar uma equipe mais forte em 2012. Não acreditei.

Alguns dos jogadores mais caros do elenco deixaram o clube, e atletas no estilo “bom e barato” começaram a chegar.

Resultados? Depois de quase chegarmos na final do Paulistão, fracassamos tanto na Copa do Brasil como na Sul-Americana, e estamos numa posição intermediária no Campeonato Brasileiro.

Ontem, na entrevista coletiva, Felipão abriu o jogo sobre o que está acontecendo de fato.

“Não está fácil. O torcedor tem de entender que o Palmeiras passou por uma reformulação que precisava ser feita. Muitos investimentos foram mínimos para que pagamentos e dívidas fossem feitos normalmente, e hoje já há dívidas que nem existem mais. Me pediram que eu aceitasse essa realidade, e eu aceito. E aí indico um jogador jovem da Série B ou C, que ganha 10% do que um grande jogador poderia ganhar. Sabemos que vamos errar em um ou outro, mas aí todo mundo precisa ter paciência”, disse o treinador.

Se as coisas realmente são dessa forma, Felipão não pode ser considerado o principal culpado pelo futebol horrível apresentado em campo.

Claro que o treinador erra demais, insiste no anti-futebol, e nem sempre escala a melhor formação possível. Por outro lado, ele trabalha num ambiente péssimo, e tem em suas mãos um elenco carente de bons atletas em várias posições.

Acho justo que um clube, ou uma empresa faça um “ajuste nas contas” contanto que isso seja algo temporário. Um clube vive de títulos, e para conquistar precisa investir.

Mas será que estamos guardando para gastar direito no futuro? Fica difícil apostar nisso, pois o clube apresentou um déficit de R$ 17,9 milhões apenas no primeiro semestre.

Bem, tenho paciência e quero acreditar, Felipão. Eu quero acreditar.

Abraço a todos!