Boa campanha no primeiro turno alimenta sonho de título

Encerrado o primeiro turno do Brasileirão 2008, é hora de fazer um balanço de tudo o que ocorreu com o nosso Alviverde Imponente nesse período. De cara, a boa notícia que muitos estão encarando como ruim sabe-se lá o porque: acabamos na terceira posição. Em 19 partidas, foram 10 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, 32 gols a favor, 21 contra, saldo positivo de 11. Ficamos 7 pontos atrás do campeão simbólico da primeira fase, o Grêmio, e a apenas 2 do vice, o Cruzeiro. Vale a lembrança: empatamos com o líder na casa deles e goleamos a equipe mineira. Ou seja, um bom desempenho, em termos gerais.

Durante os 19 jogos, tivemos a perda definitiva do zagueiro Henrique, vendido para o exterior, e também sofremos com contusões, suspensões e até mesmo problemas jurídicos, que nos privaram durante vários momentos de atletas essenciais para a nossa trajetória, como Valdívia, Pierre, Leo Lima, Kleber, Leandro, Elder Granja e Gustavo.

Novos reforços chegaram, e precisaram/precisam de tempo para se adaptar à nova casa, entre eles Sandro Silva, Jefferson e Fabinho Capixaba. Mesmo com as oscilações que chegaram a nos posicionar abaixo do décimo posto na tabela, a equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo logo cresceu de rendimento e se manteve na parte de cima da competição.

Boa parte dessa boa performance se deu graças ao excepcional desempenho em partidas no estádio Palestra Itália. Das 9 que jogamos em casa, vencemos 8 e empatamos uma única, contra o Figueirense, simplesmente o melhor rendimento entre as 20 equipe participantes do torneio. O que não nos permitiu alçar vôo ainda maior foi a performance como visitante. Em 10 partidas, ganhamos apenas 2, com 3 empates e 5 derrotas.

Dos 30 pontos disputados na casa alheia, faturamos apenas 9, ou seja, um aproveitamento de parcos 30%. Como ficamos a 7 pontos do Grêmio, precisaríamos ter tido um desempenho em torno de 60% para terminar o turno na ponta. Fica aí bem claro o desafio neste segundo turno, para poder faturar o título: continuar triturando os adversários em casa e quase dobrar o rendimento fora. E não se iludam: o Luxa sabe disso.