Baú do Palestra – 101 anos de Sociedade Esportiva Palmeiras

A Sociedade Esportiva Palmeiras completa hoje 101 anos de sua fundação. Somos um clube centenário e são inúmeras as histórias de superação, dificuldades e, principalmente, muitas conquistas.

Aliás, a conquista de títulos é o que marca a história do clube. Sim, vivemos um período de 16 anos na fila, entre 1977 e 1993, mas com a chegada da chamada “Era Parmalat” novamente vivemos um período de muitas taças.

Costumo dizer que o Palmeiras é um clube singular na história do futebol brasileiro, e não é apenas pelas conquistas dentro de campo, mas sim por sermos os mais fortemente afetados pelas duas guerras mundiais (1914-1918 e 1939-1945).

Outros clubes, como o Cruzeiro, foram afetados pela segunda guerra mundial também, visto que precisou mudar de nome (de Palestra Itália para Cruzeiro), mas não sofreu a perseguição da polícia de Getúlio Vargas como o Palmeiras sofreu.

No caso da primeira guerra mundial, o maior problema foi que vivíamos uma fase de imigração de italianos para São Paulo, e estes italianos foram convocados pelo exército para lutar nesta primeira grande tragédia da humanidade, no início do século passado.

torcida

Com a saída destes italianos para o campo de batalha na Europa, o clube perdeu muitos associados, o que quase o levou a falência já no segundo ano de existência (1915). Foi o trabalho de um de seus dirigentes – Ernesto Giuliano – que buscou incansavelmente novos sócios para que as atividades do Palestra não acabassem.

Também houve a crise de 1918 (ano do fim da primeira guerra), em que o clube sofreu preconceito por ser um time de imigrantes que estava adquirindo força e prestígio nos campos esportivos. O jogo contra o Paulistano, pelo campeonato paulista daquele ano, terminou em briga e a APEA nada fez contra os incidentes lamentáveis do jogo.

O principal problema foi quando um dirigente do Paulistano disse em alto e bom tom: ‘O que esses italianos pensam? Acham que vão mandar no Brasil?”. Com isso, a diretoria do Palestra decidiu tirar o time do campeonato.

Nem preciso descrever os acontecimentos de 1942, até porque falarei sobre isso em um post específico, mas também pelo qual muitas pessoas já sabem os motivos que levaram o clube a mudar de nome.

Mas hoje nós vamos é falar de títulos, por isso vamos catalogar aqueles que a imprensa costuma considerar como os mais importantes:

1 Mundial – Copa Rio 1951

1 Taça Libertadores da América – 1999

1 Copa Mercosul – 1998

8 Campeonatos Brasileiros – 1960, 1967, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993 e 1994

2 Copas do Brasil – 1998 e 2012

1 Copa dos Campeões – 2000

5 Torneios Rio-São Paulo – 1933, 1951, 1965, 1993 e 2000

22 Campeonatos Paulistas – 1920, 1926, 1927, 1932, 1933, 1934, 1936, 1940, 1942, 1944, 1947, 1950, 1959, 1963, 1966, 1966, 1972, 1974, 1976, 1993, 1994, 1996 e 2008

2 Campeonatos Paulistas extras – 1926 e 1938

Depois de vermos essa lista, o que devemos esperar para este novo centenário que se inicia?

Bem, como muitos de nós não estaremos aqui quando o clube completar 200 anos, cabe a atual geração pavimentar e doutrinar as futuras gerações para que o clube mantenha-se como um dos maiores do mundo.

Tantos as vitórias como as derrotas nos trazem um aprendizado para que possamos evoluir e sermos melhores (isso serve para nossa vida pessoal e profissional também).

101_anos

Lembrar-se das décadas de 20, 30 e 40; da Copa Rio em 1951; das duas Academias nos anos 60 e 70 e lembrar da “Era Parmalat” é de vital importância para sabermos como as pessoas que comandaram o clube nestas fases se comportaram para levar o time às vitórias.

Também precisamos nos lembrar, e muito, dos malditos anos de 2002 e 2012. São os acontecimentos destes dois anos que irão nos trazer a sabedoria do que não deve ser feito e que a torcida não pode sofrer o que sofreu nestes dois anos de inferno em nossa história.

Tudo o que estamos vivendo em 2015, eu quero acreditar, que é o início de uma nova e duradoura fase de vitórias.

Fomos muito bem nos clássicos, e se não fosse o ruim primeiro tempo na Vila Belmiro, teríamos conquistado o título paulista deste ano.

Acredito, sim, que estamos rumando para uma nova fase de conquistas. Ainda faltam algumas coisas para que a equipe fique preparada para ser campeã, mas vejo nos novos profissionais que comandam o futebol do Palmeiras a competência para isso.

Avanti, Palestra!