ALLIANZ PARQUE: cinco anos de uma nova era

Lembro como hoje quando estive na inauguração do estádio palmeirense. Também me lembro da torcida passando pela catraca pela primeira vez. A festa que fizeram lá dentro (mesmo com um time fraco demais em campo) e o orgulho estampado na face de cada palmeirense. 

Também me lembro dos títulos que ganhamos lá. Dos vários gols marcados, principalmente em clássicos (oi, Ceni) e também dos gritos da torcida tomando conta da nova Arena. E isso amedronta os adversários, vários atletas já confessaram isso. 

Claro que o velho Palestra Itália também tem um lugar cativo na minha memória. Muitos contemporâneos ainda preferem o cimento das arquibancadas, a atmosfera “raiz” do nosso estádio, mas seria impossível conciliar isso com o (alto) custo do Século XXI. Quem tá vivo, vive mudando. Ainda bem. 

Acredite, foi muito difícil convencer alguns zumbis do clube social de que o novo estádio seria uma boa ideia. Hoje, é quase impossível imaginar um clube moderno e saudável financeiramente com um estádio velho e cheio de problemas estruturais. E este era o caso do saudoso Palestra Italia (ô chico lan…via…).

O futuro do Allianz Parque promete boas novidades para o palmeirense. A Sala de Troféus/Museu deve sair finalmente do papel e o gramado sintético deve facilitar a vida dos jogadores, além de tornar o jogo muito mais rápido e agradável para quem vai ao estádio. 

Falta algo? Talvez ingressos com preços mais baixos para que torcedores de todas as classes sociais possam visitar o estádio em algum momento. É uma experiência única e inesquecível. 

Abraço a todos!