Agradeçam ao Prass…

Poucas vezes na história do futebol se viu uma equipe fazer dois tempos tão distintos. Embalado pelo “espírito de decisão” que o Allianz Parque lotado propiciava, o Palmeiras entrou em campo com a mesma formação da última partida.

A disposição da equipe, no entanto, era muito diferente. O time estava mais compactado, os setores mais próximos e a pressão exercida sobre o Rosario Central foi gigantesca. Duas boas oportunidades foram criadas logo nos primeiros 10 minutos.

Em muitas partidas deste ano, não conseguimos criar duas oportunidades de gols no primeiro tempo inteiro.

O gol do Cristaldo saiu numa jogada em que o argentino usou de malandragem na trombada com o zagueiro e um pouco de sorte, já que a bola parou na poça d’agua e acabou enganando o goleiro.

Cristaldo foi uma boa aposta de Marcelo Oliveira. Fez um gol, quase fez outro, ajudou na marcação, voltou para buscar jogo e não ficou de bracinho na cintura dentro da área reclamando que a bola não chega.

O Palmeiras continuou pressionando o adversário, mas desacelerou depois do gol criou poucas chances. Mas o pior ainda estava por vir.

O time voltou para a segunda etapa com a covardia estampada na testa. O time aceitou a pressão dos argentinos e ficou estacionado no campo de defesa. Se não fossem as defesas milagrosas de Prass, o Rosário Central empataria a partida logo no início do segundo tempo.

SÃO PAULO, SP - 03.03.2016: PALMEIRAS X ROSARIO CENTRAL - O goleiro Fernando Prass, da SE Palmeiras, em jogo contra a equipe do CA Rosario Central, durante partida válida pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque. (Foto: Cesar Greco / Fotoarena)

Quando Robinho deu um carrinho irresponsável em Cervi, achei que a vitória parcial ia pro saco. Fernando Prass novamente surpreendeu e fez uma defesa que acabou sendo comemorada como se fosse gol!

Muitos atletas passam pelo clube todos os anos, mas de quantos você vai lembrar positivamente daqui a 10, 20 anos? São partidas como esta que fazem que um jogador fique na história do clube, além de títulos conquistados. Prass está no caminho certo para se tornar um grande ídolo palmeirense!

Ah, e que camisa linda! Uma bela homenagem aos outros grandes goleiros da história do Verdão. Valeu a homenagem para Primo, Nascimento, etc…

Depois da penalidade defendida, achei que o time teria uma outra postura em campo. Que nada! Depois da entrada de Arouca no lugar de Thiago Santos, a porteira foi completamente escancarada. Arouca continua jogando só com o nome no Palmeiras e, como se diz no interior, ficou marcando “só com os olhos”. Uma vergonha.

Nossa sorte é que, apesar de ter criado muitas chances, o time argentino foi incompetente demais e não conseguiu marcar nenhum gol. No final da partida, Allione, ex-futuro jogador do Rosario Central, marcou o gol trouxe alívio imediato ao torcedor palmeirense que passou por 45 minutos de sufoco no Allianz Parque.

Não é possível que um time visitante tenha 65% de posse de bola jogando na nossa casa!!! Claro que temos que exaltar o Fernando Prass, comemorar a vitória, mas isso não pode mascarar os inúmeros problemas que o time ainda precisa resolver.

Abraço a todos!