A vitória da fé de três mil sonhadores

edicao35.gif

De um lado, 25 mil torcedores, que vieram para apoiar um time até então invicto no campeonato, disputando as primeiras posições e em paz com sua torcida. Do outro, três mil abnegados, dando uma emocionante prova de amor a um clube que encontrava-se na zona intermediária da tabela, há cinco partidas sem ganhar. Fácil prever o resultado, não é mesmo? Errado. O estádio do Morumbi presenciou mais uma vez o efeito do clássico, onde nunca há favoritos. O Palmeiras, contra tudo e contra todos, venceu o arqui-rival Corinthians por um a zero, e de forma merecida.

De cara, elogios a Caio Jr. Ele armou o time de forma competente, gerando uma performance compacta, com dedicação, poder de marcação e solidariedade. Se faltou técnica, sobrou disposição. Por sua vez, o Corinthians esbanjou garra, mas também muita limitação técnica, sem um jogador que soubesse armar as jogadas. Durante a primeira etapa, o Verdão teve maior volume de jogo, e criou pelo menos três grandes chances de gol, enquanto o adversário chegou com perigo apenas uma vez, em bom arremate que Diego defendeu com agilidade. No último minuto da etapa inicial, boa cobrança de escanteio acabou possibilitando a Dininho abrir o marcador.

No segundo tempo, o Palestra soube manter o equilíbrio, mesmo com um volume de jogo maior por parte do Corinthians, e Diego provou estar recuperado, com uma saída perfeita no único ataque realmente perigoso da equipe de Parque São Jorge.

A zaga composta por Dininho, Gustavo e Nen se portou de forma impecável. Pierre, como se fosse novidade, esbanjou raça, categoria e poder de desarme. Os laterais Paulo Sérgio e Valmir cumpriram bem suas missões. No meio, Wendell e Martinez tiveram boa performance, mas a surpresa ficou por conta de Caio, que chamou a responsabilidade para si. E Luis se mostrou um guerreiro. Bruno Farias, que entrou na parte final da partida, é mais outra grata promessa que surge das categorias de base. Os três mil palmeirenses fizeram a sua parte, e, graças à sua fé e ao empenho dos jogadores em campo, a Nação Alviverde comemora mais uma vitória contra seu maior rival.