A vida dos outros

Considerações, gozações, críticas e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

******

Prazer, LDU
Como diria um clássico dos anos 70 dos Originais do Samba, “Falador Passa Mal”. E agora, seo Renato Gaúcho? Chupa essa manga azeda e repleta de fiapos! Falou muito e não conquistou nada. A grande verdade é que o treineiro do Amarelense, digo, Fluminense, não se dignou a fazer com que seus atletas treinassem cobranças de pênaltis. Resultado: vexame histórico. Perder Libertadores para time do Equador em pleno Maracanã é dose para mamute.

******

Anticlímax
Mas justiça se faça: o Fluminense sofreu do mesmo problema que acometeu o nosso Alviverde Imponente em 2000: anticlímax. Após eliminarem Jardim Leonor e Boca Juniors, eles comemoraram antes da hora, achando que o título já era deles, da mesma forma que nós após despachar Marcelinho e sua gangue. Só que ninguém chega em final de Libertadores por acaso, e a LDU mostrou isso na prática. Agora, tome tentar fugir do rebaixamento, não é, seo Gaúcho? Bem-vindo aos cinco mil quilômetros da próxima Liberrrta! Aliás, seis mil, no caso do time dele, merecido lanterna do brasileirão.
******

Ceni não entende bulhufas de arbitragem
Esta semana, Rogério Ceni, o goleiro favorito de Raul Bianchi (acho que ele irá me matar….), garantiu em programa na Band que o árbitro argentino Héctor Baldassi, escalado para Fluminense x LDU, é o melhor da América do Sul. Imaginem se fosse o pior. O cara conseguiu prejudicar as duas equipes de forma clara: deixou de marcar penal indiscutível em Washington, não expulsou jogador da LDU, deu impedimento mandrake em ataque do Flu que geraria gol e, de quebra, anulou gol legítimo dos equatorianos na prorrogação. Seria ele um novo Ubaldo Aquino, aquele paraguaio que cansou de nos roubar na Libertadores?

******

Fimozzi tem dia de Ronaldinho Gaúcho no Mesa Redonda
O programa Mesa Redonda, exibido no último domingo na tevê Gazeta (SP), teve a capacidade de dar espaço enorme para o Fimozzi, digo, Finazzi, no qual discutiu-se as razões pelas quais o “grande goleador” saiu do time de Chico Lang. Isso é o que eu chamo de falta de assunto. Afinal, trata-se de um jogador em final de carreira e sem momentos brilhantes em sua trajetória. Tanto que foi para o Azulão, time em franca decadência. Ou será que para aquele programa esse jogador seria uma espécie de Ronaldinho Gaúcho?

******

Só contaram para eles…
Em manchete do caderno de esportes de ontem da Folha de S.Paulo, notícia veicula que a WTorre teria oferecido inicialmente para o Corinthians o projeto de construir uma arena. Vale lembrar que já havíamos comentado isso por aqui há muito tempo, não só no blog como também no programa. Depois, neguinho ainda fica se perguntando porque as vendas de jornais caem a cada dia…..

Semana que vem tem mais, se Deus quiser, e ele há de querer!

*******

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras.