A Vida dos Outros

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*********************************************************************************

Nem Rogério Ceni parece resistir à crise no Jd. Leonor-1
Nada como um dia, mês, ano após o outro. Outrora incensado pela imprensa como o grande exemplo de organização no futebol brasileiro, aquele clube sediado no Jardim Leonor está atualmente com a consistência de um castelo de areia, se tanto.

Já vai longe o tempo em que os treinadores ficavam por lá durante anos. Agora, bobeou, sambou. E os jogadores viram desafetos dos torcedores jogo a jogo. Não é de se estranhar que as meninas de J.J. Whisky estão em vias de completar 4 anos sem títulos.

Com a sucessão de contusões e suspensões de Luis Chiliquenta, o atacante caiu na boca da ala mais radical dos “fãs” do tricolixo, que o acusam de pipoqueiro e de tirar o corpo fora nas horas decisivas.

Agora, parece que a bola da vez é mesmo Rogério Cênico. Durante os mais de seis meses que ficou longe dos campos, recuperando-se de uma operação no ombro, o goleiro era tido como o provável salvador da pátria. “Quando o Rogério voltar, o bicho vai pegar”, diziam.

Na volta, ele inicialmente parecia corresponder às esperanças, e fez até mesmo um gol de falta. Mas o avião começou a embicar, pelo jeito que as coisas andam.

*********************************************************************************

Nem Rogério Ceni parece resistir à crise no Jd. Leonor-2
Nas últimas três partidas na meta tricolor, o eterno reserva de São Marcos na Copa de 2002 tomou um total de sete gols, uma verdadeira baciada. Nas derrotas contra Grêmio e Fluminense (ambas por 2 a 1), até que tentaram aliviar o goleiro, embora suas falhas tenham sido claras e dignas de críticas.

Contra o Náutico, no entanto, não teve jeito. Foram três gols, sendo que um deles pode ser classificado como o gol contra mais bizarro do ano no futebol brasileiro (e, quem sabe, mundial!), em jogada que mais parecia de vôlei.

A coisa está tão feia que a coluna do polêmico Ricardo Perrone, no UOL, afirma que um influente dirigente do São Paulo teme que dores provocadas pelo desgaste físico atrapalhem a performance de Cênico.

O tal informante, que pediu para seu nome não ser revelado (viram como isso não ocorre só no Palmeiras?) até teria apontado uma falha no jogo contra o clube pernambucano no qual o goleiro esticou de forma errônea o braço direito, o mesmo lado do ombro operado.

Pior: os dirigentes não teriam coragem de chegar no atleta e questioná-lo se não seria mais sensato o jogador preparar a aposentadoria, seguindo os passos de Marcos.

Quero ver quem terá a coragem de colocar o guizo no gato, ou seja, chegar no Mister Cênico e recomendar que ele pendure as luvas. Acho que nem J.J., o ditador do pedaço, teria a manha.

*********************************************************************************

Ney Franco conseguirá emplacar 2013 no comando do SPFC?
Enquanto Rogério Frangueni, digo, Ceni, vai enterrando o time e Chiliquenta continua de fora, o técnico Ney Franco começa a caminhar rumo ao destino nada alvissareiro de entrar na estatística de técnicos demitidos por Jay Jay.

Em dez partidas no comando do SPFC (Saco de Pancadas Futebol Clube), o treineiro ganhou 4, empatou 1 e já apanhou 5, sendo que três dessas traulitadas foram consecutivas.

Por sorte dele, sua equipe enfrentará nas duas próximas rodadas times teoricamente inferiores, a Ponte Preta e o Bahia. Mas para seu azar, surgirá logo a seguir um clássico contra o small club Empatite.

Mesmo se ganhar dos dois adversários citados, uma derrota contra o tradicional rival certamente dará uma tostada no filme do ex-técnico das divisões de base da CBF. Que poderá se arrepender amargamente de ter saído de lá…

*********************************************************************************

Neymar volta a jogar contra os adversários de que gosta…
Ninguém em sã consciência nega o talento e o potencial de Neymar. O moleque é do ramo. No entanto, o atleta do Santos ainda está bem longe de ser o gênio completo que pensam que ele já é.

Após um desempenho bastante apagado nos Jogos Olímpicos de Londres, durante os quais pegou adversários ridículos como Honduras e nem assim brilhou, além de amarelar na final contra o México, cujo futebol tem tanta tradição como o handebol brazuca, ele enfim voltou a encarar adversários mais próximos de suas possibilidades atuais.

Contra o time B da Suécia e contra o fortíssimo candidato ao rebaixamento que é o Figueirense, o santista deitou e rolou. Pena que essas agremiações não tenham disputado a medalha de ouro, não é mesmo? E que ninguém se esqueça de seu fiasco contra o Barcelona, na final do Mundial de Clubes de 2011.

Atualmente, Neymar só faturou o ouro como protagonista de dezenas e dezenas de comerciais e anúncios, dos quais a gente não consegue fugir, de tanto que são veiculados na mídia.

A situação atual do jogador santista lembra muito a de Robinho há alguns anos. Também parecia ser o novo candidato a melhor do mundo. Aí, também virou o rei dos comerciais, seu futebol nunca se consolidou e hoje nem para a fraca Selenike de Mano Menezes ele é convocado. Será que Robinho dirá em breve “eu sou você amanhã” a Neymala?

********************************************************************************

Diego Sheik Souza pode ter que abrir o bolso na Justiça em SP
Que os jogadores de futebol, com apenas algumas exceções, só pensam mesmo em dinheiro, é fato concreto. Até aí, sem problemas. O tal “profissionalismo” leva muitos a se tornarem insensíveis, e ninguém pode exigir que o jogador tenha a mesma paixão do torcedor.

Mas existem alguns jogadores que acabam sendo mal orientados e se tornam gananciosos demais. Esse parece ser o caso de Diego Souza, que vestiu a camisa 7 do Palmeiras e até ganhou um título por aqui, o Paulistão de 2008.

Após nos deixar, ele resolveu cobrar na Justiça um valor em torno de R$ 4 milhões, por hipotético uso indevido de direitos de imagem e arena, pagos, segundo seus advogados, de forma indevida.

Pois bem. O atleta teve negada, em primeira instância, sua pretensão. O fato ocorreu na 42ª Vara de Trabalho de São Paulo, e a decisão foi assinada pela juíza Lycanthia Carolina Ramage.

A notícia, publicada pelo UOL nesta sexta-feira (17), ainda afirma que, se de fato perder a ação, o atacante ainda terá de cobrir os custos do processo, que giram em torno de R$ 2 mil.

Uma notícia nada agradável para Diego, que deixou o Vasco e agora defende as cores do Al-Ittihad, do Oriente Médio. Seria ele mais uma vítima da praga alviverde, endereçada a quem cuspiu no prato em que comeu com volúpia? Saberemos nos próximos capítulos …

*********************************************************************************
Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos frequentadores de Mondo Verde! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio etc


*******************************************************************************

Ouça o Torpedo Verde, o nosso boletim (quase) diário…