A vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

2012 começa em ritmo de reprises de filmes na TV a cabo
Para tristeza de muitos e alegria de uma meia dúzia de fãs fiéis, cá estamos de volta com A Vida dos Outros. E, pelo andar da carruagem até agora, certas coisas prosseguem exatamente as mesmas, tipo as infindáveis reprises dos mesmos filmes de sempre na cada vez mais cara TV por assinatura.

Um exemplo para iniciar bem a temporada 2012 dessa coluna? Sim, só pode ser ele, Adriano Barriga, cotadíssimo para entrar na versão 2012 do infame Chaves.

Há quase um ano no time até  outro dia presidido por André Sanche, o adorável comedor de esses e amigão do Goleiro Verde, o cidadão continua sendo o hors-concours no quesito “chinelinho de ouro do futebol brasileiro”.

Além de jogar quase nunca e estar sempre acima do peso, o cidadão continua falhando nos treinos no melhor estilo aluno gazeteiro. Alguém tem dúvida de que o Ultimão pagou o mico da década ao contratar esse cara? Não estranhem se, daqui a algum tempo, Barriga retorne ao time que o revelou, o Menguinho, para enganar mais um pouco por lá…

*****

Irmão de Assis Lero-Lero continua dando as cartas na Gávea-1
No início de 2011, o ex-jogador Assis Lero-Lero deu uma rasteira clássica em Palmeiras e Grêmio e levou seu irmãozinho, Ronaldinho Dentuço, para o Flamengo, que comemorou como se tivesse faturado um título mundial ou coisa do gênero.

Quase um ano se passou, e pelo visto chegou a hora de dar risada dos “espertinhos”. Até o momento, afora uma ou outra partida, Pernalonga está naquele esquema “vocês fingem que me pagam e eu finjo que jogo”, inventado pelo folclórico ex-jogador Vampeta quando atuou pelo mesmo time da Gávea.

De quebra, a presidente do clube, Patrícia “Tamborim”, não consegue capitalizar a presença do ex-jogador em atividade, digo, craque em plena forma, em seu elenco. Investidores fogem dela como o capeta foge da cruz. Ô, dó! Mas isso não é tudo…

*****

Irmão de Assis Lero-Lero continua dando as cartas na Gávea-2
O fato de Ronaldinho Carioca reclamar publicamente da falta do pagamento da parte de seu salário que seria responsabilidade da gloriosa Traffic e de quebra ameaçar não jogar mais pela equipe enquanto o dinheiro não entrar em sua conta bancária deixou Wanderley (ou Van Der Ley, ou Wanessa Camargo, ou Van Ess Manicure, ou sei lá!) Luxemburgo bem invocado.

Além de censurar o irmão de Lero-Lero, ele ainda afirmou que o jogador teria levado uma mulher para a concentração da equipe carioca, realizada na cidade paranaense de Londrina.

Isso, além da afirmação de que o elenco atual do menguinho não teria comprometimento com resultados, deixou o treinador na marca do pênalti no rubro-negro carioca.

Se não classificar seu time na chamada pré-Libertadores contra o time internacional mais amado por Flávio Canuto, o Real Potosi, Luxa pode limpar seu armário rapidinho.

Mesmo se conseguir eliminar o rival boliviano, ele que trate de aliviar suas críticas, pois tudo leva a crer que Miss Tamborim quer manter Dentuço, apesar de tudo. Masoquismo alheio é lindo…

*****

Atacadão de jogadores tricolor arranca elogios da imprensinha…
Impressionante como boa parte da mídia esportiva não consegue esconder a paixão que nutre pelo clube presidido por J.J. Whisky. Sempre que possível, entopem de elogios a agremiação, mesmo quando não se notam tantas razões para isso.

Agora, a desculpa para jogar quilos de confete no clube que não ganha rigorosamente nada há três longos anos é o fato de as moças terem contratado um bacião de jogadores, louvados como se fossem a oitava maravilha do mundo civilizado.

Os teoricamente melhores do pacotão já não são lá essas maravilhas. Bruno Cortês, nova versão do Coalhada (inesquecível personagem criado por Chico Anysio nos anos 70), não joga absolutamente nada há uns seis meses, enquanto o tal de Jadson, egresso do Leste Europeu, pipocou feio na patética seleção de Mano Menezes.

Quanto aos outros, é um fim de feira que dá até medo, com direito até ao glorioso Jonatan Doin, também conhecido como Paulo Miranda e de triste passagem pelo Alviverde Imponente.

*****

Quem é que vai pagar por isso, meu caro presidente J.J. Whisky?
O presidente J.J. Whisky é dessas figuras caricatas que a gente ama ver comandando os clubes dos outros. Responsável pelo rebaixamento do Tricolixo para a segunda divisão do Paulistão em 1990, ele agora está levando de novo seu clube para o buraco.

Tentando se eternizar no poder lá  pelos lados do Jardim Leonor, o cidadão dá um banho de canastrice a cada nova entrevista. Na última semana, seus comentários sobre a situação atual das suas categorias de base foram de fazer chorar de rir.

Questionado sobre a patética eliminação de suas “menininhas” logo na primeira fase da superpovoada Copa São Paulo de Juniores, ele afirmou que alguém errou feio para que tal vexame ocorresse.

Whisky Bar repetiu várias vezes que alguém errou, e que irá pagar por isso. Irá pagar por isso. Irá pagar por isso. Pagar por isso. Pagar…

A continuar nessa passada, e com Leão Tarja Preta comandando seu elenco, quem pagará por isso será o torcedor dos Bambi Boys, pois dá para visualizar um quarto ano na fila para elas. J.J. forever!!!!

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio etc