A vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Fim da linha chega mais uma vez para o heroico Harry Pobre – 1
No fim das contas, Raul Bianchi, o Goleiro Verde e meu filósofo predileto da linha Didi Mocó, estava mesmo certo. O Botafogo de Caio Jr. acabou abrindo as pernas e se distanciando do título justo na chamada hora agá. E o treineiro perdeu o emprego.

O roteiro dos trabalhos de Harry Pobre costuma ser exatamente igual. Ele pega o elenco do time X, dá uma arrumada e aos poucos a coisa melhora. Algumas vitórias depois, entra nas primeiras posições do torneio que estiver disputando.

Quando a coisa começa a engrenar e se imagina que o X Futebol Clube possa faturar o título, tudo degringola a olhos vistos, e o Estagiário passa a gastar o seu tempo com desculpas para justificar o injustificável. E o emprego vai pro saco.

*****

Fim da linha chega mais uma vez para o heróico Harry Pobre – 2
Desta vez, Harry Pobre teve umas três chances seguidas para tomar a primeira posição do Ultimão, mas derrotas inesperadas (inesperadas, com Jota Erre no comando? Devo estar bêbado!) o impediram de dar um bico nos fundilhos da zica que o acompanha.

Não é exagero dizer que ele tem alguns colegas que seguem a mesma escola. Vide Cuca Faixa, que afora um campeonato carioca que venceu com o Flamengo em cima do Botafogo (covardia…), é mestre em perder títulos nas mesmas condições.

Agora, resta saber qual será o próximo capítulo na história do treinador, que nos últimos tempos investiu em um visual a la Jeff Bridges. Por sinal, ele costuma mostrar mais talento ao cuidar do look e dos comentários do que para segurar o grupo que comanda…

*****

“Não vejo a hora de sair dessa m****!”, diz comedor de esses
Não dá para não ser fã  de André Sanche, o adorável comedor de esses e amicíssimo de Raul Bianchi. O cara é o que poderíamos chamar de figurinha carimbada, sempre com frases de efeito certeiras.

A mais recente ele soltou esta semana, após mais complicações na conturbada política do clube que dirige.

Puto da vida, o presidente, que promete largar o osso, digo, o cargo no dia 15 de dezembro, garantiu que não vê a hora de sair dessa merda, digo, do clube.

Aparentemente, o título brasileiro de 2011 está no colo dessa agremiação detestável, levando-se em conta que aparentemente todos os outros clubes conspiram a seu favor.

Mas imagine só se por um desses milagres que só o futebol é capaz de concretizar os caras deixarem a oportunidade passar e perderem mais uma oportunidade dessas. Certamente eu não perderei nenhuma das entrevistas de Sanche após tal “façanha”… É secar e aguardar.

*****

O sempre sensacional Paulo César de Oliveira apronta de novo
Existem alguns mistérios no futebol brasileiro que eu simplesmente não consigo entender. Ou mesmo descobrir o porquê de suas existências. Pois parece tão simples desmenti-los…

Um deles é a razão pela qual o árbitro Paulo César de Oliveira é sempre colocado entre os melhores do Brasil. Isso, mesmo com o absurdo número de lambanças que o cidadão já cometeu em sua carreira como soprador de apitos.

A mais recente ocorreu esta semana, na partida do Internacional gaúcho contra o Bahia, no estádio Beira Rio, em Porto Alegre.

Após entrada criminosa do cangaceiro, digo, zagueiro colorado Bolívar no jogador Dodô, do Bahia, o cidadão  “puniu” o jogador do time gaúcho apenas com um cartão amarelo, e de quebra não deu o óbvio pênalti, trocando-o por um “jogo perigoso”.

Jogo perigoso é toda partida apitada por PC Oliveira. Que o digam nós, palmeirenses, sempre prejudicados por ele. Aí, de novo a pergunta: o que leva a mídia a considerá-lo um dos melhores?

*****

Efeito da atuação de Leão Tarja Preta está cada vez menos efetivo
Em uma de suas tiradas mais geniais aqui em Mondo Palmeiras, Flávio Canuto apelidou o treinador Emerson Leão de Leão Tarja Preta. A explicação é o fato de o profissional entrar no clube e, durante um certo período, consertar as coisas. Pouco depois, entrementes, tudo ia ladeira abaixo, devido a seu temperamento intempestivo.

O curioso é que, nos últimos anos, esse prazo de validade de Tarja “Turunem” Preta começou a ficar cada vez menor. Em seu momento atual, no clube presidido por J. J. Whisky, aparentemente chegaremos ao momento mais rápido.

Contratado no finalzinho do Brasileirão com a função de operar milagres lá no Tricolixo, o treineiro já acumula vexames como ser eliminado pelo paraguaio Libertad na Copa Sulamericana e perder de clubes ameaçados pelo rebaixamento como Atlético-PR e Bahia.

Agora, ele tem apenas três jogos para efetuar o milagre de levar Rogério Cênico e suas meninas amestradas de volta à Taça Libertadores. Pode acontecer, mas parece improvável. E aí, para onde será que Leão, sempre apoiado em massa pela “imprenssinha”, vai? Provavelmente para o Canuto All Stars…

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras!

E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…