A Vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Que tal ver um jogo da atual seleção brasileira de futebol?-1
Próximo de ficar mais doido do que o habitual após ver os jogos do nosso amado Alviverde Imponente em 2011, resolvi ver na noite desta sexta-feira (7) uma partida da seleção brasileira.

Nada melhor para descontrair. Afinal, dizem que se trata do melhor time do mundo, com os melhores jogadores do planeta, sempre muito bem selecionados. Ah, e com uma organização incrível.

Quando moleque, eu via essa equipe não só encarar os adversários mais fortes com a cabeça erguida e muita categoria como também enfiando goleadas históricas em adversários mais fracos.

Como não tenho visto os jogos mais recentes da atual encarnação da “amarelinha”, estava meio por fora do que andava rolando. Mas imaginei que uma partida contra a Costa Rica, definida pelos comentaristas como do quarto mundo da bola, seria uma moleza.

Doce ilusão…

*****

Que tal ver um jogo da atual seleção brasileira de futebol?-2
Meus caros, não demorou nem dez minutinhos para eu começar a sentir saudades de ouvir o Felipão gritando “Tinga, Tinga!”, dos chutes na lua do Luan e das “miguelagens” do Kleber.

O clube ainda tem a desculpa de não ter dinheiro para montar um elenco ideal. Quando o assunto é seleção, a coisa muda de figura. Mano Gambá poderia convocar quem quisesse, e foi o que de fato ele deve ter feito. E se não fez, a incompetência é dele, não minha.

Ainda na fase inicial da partida, um lance certamente será incluído entre as videocassetadas futebolísticas não só de 2011, como de todos os tempos, incluindo aí várzea, futebol de areia etc.

Os zagueiros Thiago Silva e David Luiz resolveram dar uma de atacantes e deram uma trombada simplesmente grotesca. O ex-jogador do Tricolixo saiu tonto da parada. Antes, Fred Flintstone perdeu um gol absurdo, chutando a bola na arquibancada.

Mas isso foi só o começo. Durante vários momentos da partida, conseguimos tomar sufoco de um dos piores times do mundo, que só não fez gols pelo fato de seus atacantes terem pontaria ainda pior do que certos jogadores brasileiros.

Não fosse um cruzamento salvador de Daniel Alves e o único momento decente de Neymar em campo, em ótima finalização, a partida acabaria em um apavorante 0 a 0. Se bem que a nota para o jogo bem que pode ser um zero duplo.

*****

Que tal ver um jogo da atual seleção brasileira de futebol?-3
Não é difícil entender o porquê o futebol brasileiro, hoje sétimo colocado no glorioso ranking da Fifa, se especializou em dar vexames como o desta infeliz partida.

Dá para entender a razão pela qual sumidades da bola como Ralf Ralf, Luiz Gustavo e o inominável Hulk vestem camisas que em tempos idos pertenceram a Falcão, Pelé, Romário e Tostão? Na boa: Luan não fica nada a dever a nenhum desses três. E isso não é um elogio.

Na verdade, dá para entender, sim. Ao colocar a Selenike em seus currículos, atletas de nível médio/fraco ganham cotação de craques, rendendo fortunas para empresários e certamente gerando algum tipo de vantagem para quem os coloca onde não deveriam estar.

E tem também a exploração da CBF para faturar com esses amistosos bizarros. Afinal, quem não quer ver os craques canarinhos pelo mundo afora, não é mesmo? Bem, até neste quesito o Ricardo Teixeira’s All Stars está pecando…

Segundo a Folha de S.Paulo de hoje (8), os cambistas viveram um dia de desespero puro na Costa Rica, pois os ingressos para a partida contra o Brasil encalharam bonito. Também, custando entre R$ 150 e R$ 350, ninguém merece…

Aprendi a lição. Continuarei a ver os jogos do Brasil-sil-sil na base dos melhores momentos. Santox x Palmeiras, aí vou eu! Sem reclamar!

*****

E começam a surgir as desculpas para o fracasso do 101-1
Durante toda a semana, a “isenta” mídia esportiva televisiva louvou a programada estreia de Adriano no clube presidido por André Sanche, o adorável comedor de esses e amigão do Goleiro Verde.

No entanto, a verdade pelo visto começou a aparecer. Na edição de hoje (8) da Folha de S.Paulo, o atleta surge com uma série de desculpas prévias para um possível fracasso.

Entre outras, ele pede para jogar apenas alguns minutos, além de assumir insegurança para arranques, movimentos e chutes, além de admitir que tem um problema no tornozelo que o incomoda.

O jogador, fora dos campos há um ano e quatro meses, também garante que está com apenas 20% de sua condição física em ordem. Mas ele garante que, em três ou quatro rodadas, atingirá os 100%. Dá para acreditar?

Imagine se esse cara estivesse no Verdão. Bonde seria o termo mais gentil que usariam para defini-lo. Mas o pior ainda está por vir.

*****

E começam a surgir as desculpas para o fracasso do 101-2
Em declaração ao mesmo jornal, Joaquim Grava, consultor médico do Ultimão, deu a todos a informação que desejávamos saber: Adriano ex-imperatriz está pesando 101 kg.

Segundo o médico, ele precisa perder mais três quilos para chegar ao que seria o seu peso ideal.

Vocês conseguem imaginar um atleta profissional pesando 101 kg, e tendo 98 kg como peso ideal para entrar em campo?

Aliás, 101 é o número da sala onde, no seminal livro 1984, de George Orwell, são enviados os prisioneiros para sofrerem a pior tortura de suas vidas.

Mais de 31 mil ingressos haviam sido vendidos até ontem (8) para a estréia de Adriano 101. Será  que os torcedores do time de Ralf-Ralf terão de encarar a pior tortura de suas vidas? Heim? Heim?

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras!

E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…