A Vida dos Outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Marco Pólo Narigón quer tirar pontos de quem atrasar salários
Já rolou muita coisa absurda nos campeonatos realizados no Brasil, tipo time ser eliminado por ter mais cartões amarelos do que o concorrente, pênaltis para definir ponto extra etc.

Mas o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Pólo Del Narigón, pretende pelo visto entrar no primeiro escalão das ideias geniais dos cartolas brazucas.

Ele anunciou que no Paulistão 2012, os clubes que por ventura atrasarem seus salários perderão três pontos por rodada, até que acertem as contas com seus atletas.

Do jeito que os clubes estão, em uma pindaíba de dar gosto, vai ter agremiação que irá acabar com pontuação negativa, no final do torneio.

Dizem que a sugestão partiu de um dos maiores ídolos de Raul Bianchi, o ex-goleiro e hoje presidente eterno do Sindicato dos Atletas de SP, Rinaldo Martorelli.

*****

Celso Roth avacalha com Tricolixo e leva troco na mesma moeda
Celso Roth, provavelmente o mais tosco dos treinadores atualmente em atividade no Brasil, novamente aprontou das suas durante a última semana, em que por sinal não tivemos rodada do Brasileirão.

Ele tirou uma da cara do São Paulo, time que derrotou no último domingo, afirmando que a equipe presidida por J. J. Whisky na verdade andou ganhando muitos jogos na sorte.

Além de levar o troco dos jogadores rosas, digo, tricolores, ele ainda levou um chumbinho de onde menos esperaria: de Dedé, zagueiro do Vasco, contra quem o Grêmio jogará neste domingo.

Há 15 meses, Tosco deixou o time da cruz de Malta na mão para ir treinar o Internacional, onde ganhou uma Libertadores, certo, mas também conseguiu perder para o inacreditável Mazembe.

Para Dedé, Roth não poderia ter saído do jeito que saiu do Vasco. “Achei errado não termos recebido nenhuma satisfação, soube que ele iria para o Inter pela internet”. Como diria um certo Robin, “santa ingenuidade, Dedé!”.

*****

Rogério Ceni é chamado de chato para c****** e assume que é
Se há algo legal em uma pessoa é a sinceridade. O goleiro Rogério Cênico, ícone daquele certo time do Jardim Leonor, provou isso mais uma vez nesta semana.

Ele falou para quem quisesse ouvir que Neymar é cai-cai e adora simular faltas. No site do jogador do Santos, veio a resposta, bem pé na porta: “Rogério Ceni é chato pra c******!”.

Pois não é que o valoroso homem dos mais de mil gols sofridos concordou com a afirmação do Sardinha Moicano? Ele disse que é chato mesmo, e que acha ser um direito seu ser mala, além de atribuir essa “característica” de sua personalidade ao perfeccionismo.

É, seo Cênico, o senhor é realmente um chato de galochas,como diriam os antigos. E se continuar assim, vai ficar de neymar a neypior…

*****

Para o Pumfexô, tudo está uma beleza no elenco flamenguista
Após apanhar em casa do inominável Atlético Paranaense, que luta desesperadamente para sair da zona do rebaixamento do Brasileirão, a agremiação esportiva presidida por Patrícia Tamborim completou oito partidas seguidas sem vencer ninguém.

Pois mesmo assim, nosso querido Vanderlei (ou Wan Der Ley, ou Wal De Mar-o nome dela é Waldemar, ou Van Der Pun, ou sei lá!) Luxemburgo garante que está tudo uma beleza lá pelos lados da Gávea.

Mas deixou uma brechinha para a gente especular: “é lógico que em um universo de 30 jogadores, um ou dois podem estar insatisfeitos por não estarem sendo utilizados”.

É, Tio Luxa, pelo visto a culpa dessa fase dolorosa deve ser atribuída a tal de “má sorte”, pelo visto. Será que nosso herói irá se manter comandando Ronaldinho Carioca e sua gang até o fim do ano se os resultados continuarem dessa laia? Façam as suas apostas.

*****

Se continuar assim, Zico Pingüim não irá durar muito no Iraque
Iniciando seu trabalho como treinador da fantástica seleção do Iraque, Zico Pinguim, outro grande ídolo do Goleiro Verde, mostra que não deve ter mesmo muito apego ao cargo que acabou de assumir.

Em entrevista concedida à Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (14), ele deu a seguinte resposta ao ser questionado sobre a infraestrutura futebolística oferecida pelo país.

“Na cidade de Arbil, onde jogamos, não existe. Tem um hotel bom, mas não tem lugar para fazer musculação. Os campos são muito ruins. E o estádio está em péssimas condições, não sei como a Fifa permitiu um jogo oficial lá”.

Tremo só de pensar o que os dirigentes de lá pensarão, se por ventura botarem os olhos nessa entrevista…

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…