A vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Um nome melhor para o Itaquerão: Cara de Pauzão!
Cada dia que passa fica mais clara a cara de pau dos dirigentes daquele clube atualmente presidido por André  Sanche, o adorável comedor de esses e amigão de Raul Bianchi.

A última veio do impagável Luis Paulo Rosenberg, o cara do marketing por aqueles lados. Em entrevista concedida ao jornal Marca Brasil, ele acha que o nome do estádio que o seu clube ganhará na mão grande do poder público deveria se chamar Invejão.

Ele explica a razão: para ele, é o curíntia quem está ajudando a cidade, o estado e o país, mesmo com os três entrando com os R$ 820 milhões para pagar a farra, digo, o estádio deles.

Segundo ele, graças à “arena”, o bairro de Itaquera, a cidade e o estado de São Paulo e o país crescerão muito. E que os outros clubes morrem de inveja deles por causa disso.

Tá certo, seo Rosenberg. E já  que chumbo trocado não dói, fica outra sugestão para o nome da obra: Cara de Pauzão! Pois haja cara de pau para não admitir que essa obra será totalmente custeada pelo poder público (leia-se dinheiro que sairá do nosso bolso, na mão grande) e dado de graça a um clube particular. Cadê uma passeata para protestar contra isso? Heim? Heim?

*****

Caio Júnior se sente aliviado antes da hora ou estou secando?
Após seu Botafogo vencer de virada e em casa o “poderoso” Avaí, o técnico Caio Júnior se sente muito aliviado, ao ponto de fazer essa declaração à imprensa: “O torcedor pode ter certeza de que vai ver o Botafogo brigando até a última rodada pelo título e vaga na Libertadores”.

Para quem ouviu os palavrões cabeludos que o “elegante” treineiro do Foguinho soltou no finalzinho da partida citada acima (que seu time ganhou de 2×1, com direito a sufoco no fim), exigindo do árbitro o encerramento da partida (e que vazaram na transmissão do SporTV), sabe que não é bem assim.

Pior: neste fim de semana, sua equipe encara fora de casa o Cruzeiro de Joel Prancheta. É, ele mesmo, que deve estar com o time da estrela solitária engasgado na garganta, após ter sido injustamente demitido de lá, mesmo tendo feito milagres naquele clube.

Será que Caio Estagiário encara mais umas duas derrotas seguidas ainda empregado no time do Engenhão? Sei não… Com a palavra, seu maior fã, Raul Bianchi.

*****

Renato Gaúcho precisa procurar o Pai Edu o quanto antes
Enquanto isso, Renato Gaúcho, que foi demitido recentemente do Grêmio, seu clube de coração, encara outra carne de pescoço daquelas.

Ele é o novo treineiro do Atlético Paranaense, que em 12 partidas no Brasileirão só faturou uma vitória, e soma ridículos 5 pontos até o momento.

No meio da semana, segurou até  os 38 minutos do segundo tempo uma vitória fora de casa contra o Ceará, mas tomou a virada e apanhou mais uma. Quanto tempo será que ele permanecerá empregado, com um elenco no qual “brilha” o glorioso Marcinho Porpeta (aquele mesmo)?

De quebra, o clube tomou uma multa de aproximadamente R$ 2 mil por atrasar o início de sua partida contra o Avaí em casa, que marcou a estreia de Renato no comando do time, e que acabou com um 0 a 0 de lascar. Vai procurar urgente o Pai Edu, Gauchão, que senão, já viu… Caixão e vela preta de novo!

*****

Julinho Camargo quer paciência do torcedor; duendes existem?
Se por ventura isso deixar Renato Gaúcho consolado, vale informar que seu substituto no Grêmio, o ex-auxiliar de Paulo Roberto Falcão no Inter, o glorioso Julinho Camargo, também está sentindo o calor da chapa quente prontinha para fritá-lo à moda da casa.

No meio da semana, conseguiu empatar em casa contra o América Mineiro (1×1), um dos mais fortes candidatos ao rebaixamento, e andou tomando merecidas vaias.

Em resposta, o treineiro admitiu a tempestade na equipe gaúcha e pediu paciência por parte do torcedor.

Torcedor paciente após resultados negativos do clube pelo qual torce aqui no Brasil é igual saci pererê, duendes, cartolas honestos, políticos dignos etc: a gente até imagina que possam existir, mas não vê nunca. Logo, abre o olho, Julinho, e vai caindo na real: se não ganhar, o pau vai quebrar…

*****

E a novela Luis Fabiano continua firme e forte no Jardim Leonor
Quando foi apresentado no dia 29 de março de 2011 no estádio Cícero Panetone de Toledo, Luis Fabiano era encarado como a grande contratação de jogador de 2011 em São Paulo pela imprensa em geral, que elogiou os dirigentes do clube do Jardim Leonor.

Pois se passaram quatro meses, e até  agora, o “goleador” nem ao menos entrou em campo, e já passou por duas operações. Uma em maio, outra agora.

O médico René Abdalla pede um tempo para prever quando o atleta voltará aos campos, mas o que se fala é que antes de setembro isso não irá ocorrer.

Pelo visto, até Adriano Cachaça já estará disponível para o técnico Empatite, do Ultimão, antes que o atacante da fracassada seleção de 2010 participe de uma partida do Brasileirão 2011.

Preciso perguntar como seria o tratamento da imprensa se esse cara estivesse no Palmeiras? Era gozação todo dia, do tipo “compraram um ex-jogador”, “esse cara não vai jogar nunca” etc. E viva o “clube mais organizado da galáxia”!

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…