A vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

*****

Até  Dunga não parece querer encarar o time do Jardim Leonor
Após ter enfim encerrado a novela P.C. Parmegianni, com o desfecho que todos esperavam (o treineiro no olho da rua), a agremiação do Jardim Leonor iniciou outra: quem será o substituto?

Por enquanto, o interino Milton Cruz vai segurando a peteca. E os possíveis candidatos realmente entusiasmam…os rivais!

Dunga, aquele, teria sido novamente procurado por J. J. Whisky e sua gangue, recebendo, mais uma vez, um não como resposta.

Tomar tábua duas vezes seguidas desse ex-volante cangaceiro e agora metido a treineiro nazista é de doer.

Cuca, que praticamente cantou aquele sucesso de 1990 de Sidney Magal (“me chama que eu vou”) ao ouvir falar do interesse do time da Disney, teria sido hipoteticamente vetado por Rogério Cênico, que aparentemente não gostou da experiência anterior do Mr. Faixa na equipe rosa-choque em 2004.

*****

Bucha pode acabar sobrando para o ídolo de Raul Bianchi
Como outros profissionais cotados para a fria, digo, vaga de treineiro do Tricolixo, estão atualmente empregados (Paulo Autuori e Adilson Batista), um nome disponível ganhou força nas paradas.

Trata-se de Celso Roth, um dos grandes ídolos de Raul Bianchi, o Goleiro Verde. Ou seja, mais uma vez o tal do “clube exemplo de administração” pode ir atrás de um ex-profissional do Verdão.

Vale lembrar que tanto Parmegianni como Roth atuaram antes (para nossa tristeza, diga-se de passagem) no Verdão antes de uma eventual experiência no outro lado do muro.

Ao ser questionado sobre a clássica antipatia de Celso Roth, um diretor são-paulino afirmou que estava atrás de um treinador, não de um vencedor de concurso de simpatia.

Será que Rogério Sadia (o rei do frango) pensa da mesma forma? A Vida dos Outros acompanhará com atenção mais essa novela rosada.

*****

Ultimão pode ter oferecido R$ 98 milhões por Quasímodo
André Sanche, nosso adorável comedor de esses e amigão do Goleiro Verde, deu o golpe perfeito com essa conversa toda em torno da possível recontratação de Tevez. Ele ganha de qualquer jeito.

Se o encrenqueiro argentino, que já está fazendo corpo mole na seleção de seu país e no seu atual clube (o Manchester City), não voltar ao Ultimão, o presidente alvinegro pode se gabar de ter oferecido a fortuna de R$ 98 milhões pelo milongueiro portenho.

Não irá tirar um único centavo do bolso e ainda poderá posar de ousado por aí.

Se por ventura ele conseguir se acertar com o clube britânico e repatriar o jogador de Kia Joorabchian (ou alguém realmente acredita que o cara não tem mais nada a ver com Tevez?), vai chamar por tabela todos os outros clubes paulistanos de otários.

Afinal, irá ganhar um estádio praticamente de graça ao ser beneficiado por incentivos governamentais, o que lhe permitirá investir dinheiro em atletas.

Por tabela, torcedores dos rivais irão colaborar com a gambazada para que eles reforcem seu elenco. Dá para encarar? Porque não fazem uma passeata contra isso?

*****

Titio Luxa vai começando a jogar a toalha no Brasileirão
O campeonato não teve ainda nem 25% de sua duração realizada, mas, pelo visto, Vanderlei (ou Wan Der Ley, ou Wan Sem Ley, ou Wan Da Me, ou sei lá!) Luxemburgo já começou a arrumar desculpas para uma provável derrota de sua equipe no Brasileirão 2011.

O presidente honorário da “Abrapôker” (associação dos brasileiros amigos do pôker) afirmou à imprensa que, se não for possível vencer o campeonato brasileiro, terá a obrigação de ao menos beliscar uma vaguinha na Libertadores de 2012 para o Menguinho de Patrícia Tamborim.

Qual será a expectativa dele, quando chegarmos lá pela 30ª rodada, heim? Heim? Essa eu vou querer ver…

*****

E já  que falamos em novela que pelo visto irá  longe…
Sei que ninguém mais agüenta esse assunto, mas A Vida dos Outros também gosta de investir em temas masoquistas.

Flamengo e Sport mandarão seus representantes à Fifa para continuar a luta aparentemente eterna em relação ao vencedor do Brasileirão de 1987.

Se em fevereiro os dois foram declarados campeões, em junho a CBF voltou atrás e novamente nomeou apenas o Sport como vencedor.

Já se vão 24 anos de disputa, e até agora, nada. Será que em 2012 teremos a comemoração das bodas de prata dessa disputa imbecil e aparentemente interminável?

*****

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…