A vida dos outros

Por Fabian Chacur

Considerações e ironias referentes aos outros clubes que, para infelicidade deles, nunca conseguirão sequer chegar perto da Sociedade Esportiva Palmeiras.

******

A dança dos técnicos liquida com PC Parmegianni – 1
É, meu caro palmeirista do Brasil e do mundo, a dança dos técnicos continua sendo diversão garantida ou o seu dinheiro de volta.

Como qualquer conhecedor razoável de futebol poderia apostar, a nova vítima acabou mesmo sendo PC Parmegianni, que após nove meses (deu à luz?) enfim virou passado novamente no “Clube da Organização Invejável e Impecável”.

Se as cinco vitórias consecutivas no início do Brasileirão deram ao cidadão uma sobrevida, ela se mostrou aquela triste reação que o moribundo tem antes de ir dessa para a tal melhor.

Bastaram três traulitadas consecutivas, para curíntia, foguinho e menguinho, para que o time dos treineiros desempregados ganhasse mais um nome de prestígio em suas fileiras.

******

A dança dos técnicos liquida com PC Parmegianni – 2
Ironicamente, Parmegianni deixou em 2010 o Atlético-PR, que vivia uma ótima fase, para encarar o desafio de treinar pela segunda vez o clube situado no Jardim Leonor.

Se o clube paranaense nunca mais se reencontrou desde então, ocupando atualmente a lanterna do Brasileirão 2011, o ex-jogador do Internacional em momento algum conseguiu levar o Tricolixo a algum lugar minimamente decente, nos campeonatos que o comandou.

Aliás, qualquer clube grande que tivesse um mínimo de organização o teria demitido após ser eliminado da Copa do Brasil pelo patético Avaí. No entanto, os “reis da organização” preferiram esperar dois longos meses para tomar tal atitude. Esperteza perde!

******

A dança dos técnicos liquida com PC Parmegianni – 3
Lógico que essas demissões sempre contam com detalhes do mais puro humor negro, e o caso PC Parmegianni não poderia se tornar exceção. E não se tornou.

João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol do SPFC, disse que o treineiro deixou ao clube “o legado em relação ao trabalho com os jogadores da base”. Ou seja, cumpriu as ordens da diretoria e sambou assim mesmo.

Mas deixei o melhor para o fim. Há  alguns dias, ao ser questionado sobre a então possível contratação (que acabou se confirmando) do jogador Cícero, ex-Fluminense, Carpa disse que não o conhecia muito bem.

Pois nesta quinta-feira (7), em seu último dia no Tricolixo, não é que ele teve a chance de conhecer Cícero pessoalmente? E o jogador deu uma declaração que é a própria essência da piada pronta:

“Falei que não poderia trabalhar com ele, mas que era um prazer conhecê-lo”.

É, PC, agora, só falta conhecer o Heitor e o Prático!

******

A dança dos técnicos liquida com PC Parmegianni – 4
Lógico que o “Mais Organizado Clube da Galáxia” já colocou Milton Cruz, seu interino favorito, mais uma vez na função de esquentador de lugar para a próxima vítima, digo, escolha da diretoria do clube.

Eles garantem que Milton ficará com a cruz, digo, com a tarefa, no máximo por quatro partidas, até que a “eficiente” diretoria contrate um novo profissional.

Ao ser questionado se poderia ser esse cara, o sempre impagável (e atualmente desempregado) Cuca não teve dúvidas e soltou a pérola: “o Juvenal Juvêncio tem o número do meu telefone”.

Fica a sugestão: já que virou garoto propaganda da Sadia (o frango mais fresco do país poderia ser o seu lema…) e está em vias de sair de cena (esse trocadilho foi de doer, eu admito…), que tal Rogério Cênico para o cargo?

******

A dança dos técnicos e uma possível nova vítima a caminho
Enquanto J.J. Whisky e sua turma do barulho buscam um novo otário, digo, treinador, outra vítima vai se tornando cada vez mais óbvia para todos nós.

Trata-se do honrado Dorival Júnior, vítima de “neymarzite” no Santos em 2010 e desde então tentando tirar leite de pedra seca do sempre encalacrado Clube Artrítico Mineiro.

Em oito partidas, ele conseguiu com a equipe de BH apenas oito pontos. Ao chegar nesta quinta (7) no Aeroporto dos Confins, retornando da partida na qual apanhou de 3 a 0 para o Ceará, recebeu uma recepção “calorosa” por parte de 50 torcedores atleticanos.

Além de uma chuva de pipocas nos jogadores, os seguidores do artrítico mineiro gritaram a plenos pulmões o famoso “fora, Dorival”.

De quebra, o presidente do clube, Alexandre Kalil, fez uma cobrança aos jogadores nesta sexta (8). Se for esperto, Dorival já limpou seu armário e deixou a família avisada. Se for tonto…

******

Semana que vem tem mais, se Deus quiser! Agradeço aos patéticos adversários, sempre me fornecendo boa munição, e aos freqüentadores de Mondo Palmeiras! E nunca se esqueçam: o bom-humor ajuda a evitar ataques cardíacos, derrames, tentativas de suicídio, etc…