A estrada para a redenção

Se há uma coisa que aprendi na vida, é seguir em frente. Seja como for. O leite derramado já se foi, mas ainda dá para preservar e aproveitar o que está por vir. Participamos até agora de sete rodadas do Paulistão, com duas vitórias, dois empates e três derrotas. Nos restam doze partidas. Então, resolvi analisar nossos próximos quatro adversários, e cheguei a uma conclusão meio óbvia: temos tudo para, nesse período, reencontrar a estrada rumo à redenção.

No sábado, às 20h30, em São José do Rio Preto, começamos pelo Guarani, que até agora deu mostras de ser uma das piores formações que já vestiram a camisa do tradicional time campineiro. Será nossa primeira final de campeonato, mas é o tipo do adversário ideal para quebrar essa zica de perder duzentos gols por partida. Aí, a situação ideal ocorre: a tabela nos proporcionará uma semana inteira até o próximo jogo, que será no sábado, dia 16, contra o Juventus, em Ribeirão Preto. Outra agremiação que vem caindo pelas tabelas. Na quarta, dia 20, será a vez do fraquíssimo Rio Claro, na casa do mesmo, provavelmente pressionado a obter uma vitória a qualquer custo.

A quadra será completada no sabadão dia 23, contra o lanterna Rio Preto. Em resumo, quatro fortes candidatos ao rebaixamento. Quem viu a coletiva do Luxa ontem percebeu que o experiente treinador tem total consciência do que está acontecendo, e trabalhando duro para nos colocar na direção correta. Vocês duvidam? Eu, não.

Aliás, alguém postou aqui no blog algo interessante: nos últimos Paulistões, começamos com tudo e vacilamos no final. Quem sabe neste não ocorre o contrário? É a minha aposta. Como diria Raul Bianchi, quando as bolas começarem a entrar nos gols dos adversários, pode sair da frente, que o Porquinho irá chegar. No dia dois de março, o jogo é contra os Manos do Menezes. Já estou esfregando as mãos.