A derrota dos "cientistas do futebol"

Sou palmeirense. Mas nasci no Brasil, e torço para a Seleção Brasileira. Para mim, um jogo entre Brasil x Argentina é tão importante quanto um Palmeiras x Corinthians. É sempre uma emoção diferente um jogo contra o maior rival, muito melhor quando o nosso maior rival vira o nosso maior freguês. Alegria em dobro.

Poucas vezes na história do futebol vimos um time tão badalado quanto este da Argentina. Cada jogo era um show. O desfile de craques portenhos, a beleza de suas jogadas, a qualidade técnica que transbordava até ao banco de reservas, transformava os gramados do Venezuela numa passarela de Milão, Paris e N. York. Até Calvin Klein, que não deve entender nada de futebol, colocava os hermanos como favoritos absolutos ao título.

No entanto, futebol não é ciência exata. Todos os prognósticos, previsões, comentários, análises táticas da imprensinha e dos oráculos do futebol foram derrubados hoje com a vitória do “limitado” time do Brasil, capitaneado pelo inexperiente Dunga. É justamente por isso que o futebol é chamado de “beautiful game”, pois aqui a lógica, e as análises “científicas”, perdem espaço para o imponderável, para as surpresas (não, não vou comentar sobre a “caixinha”hehehe).

Voltando ao nosso amado Palmeiras, da mesma forma que eu acreditava que o Brasil
“B”, do Dunga, poderia bater a “imbatível” Argentina, acredito que podemos surpreender no Campeonato Brasileiro e desbancar os favoritos da imprenssinha.

Aliás, temos algum time tão favorito assim no Brasil hoje, a ponto de relegarem ao Palmeiras o papel de mero coadjuvante? Espero que sim, contra tudo e contra todos é sempre mais gostoso.